sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Multiplayer Local & Online




Desde os fliperamas, os games são uma forma incrível de socialização. Mesmo sem conhecer os outros jogadores, isso nunca foi um impedimento na hora de se divertir dirigindo rumo ao primeiro lugar em Daytona USA ou evitando o domínio alienígena em Alien Vs. Predator.
Com a chegada dos consoles caseiros, terminar um jogo acompanhado ou organizar um pequeno campeonato de Street Fighter, por exemplo, tornou-se também uma boa opção não só para passar o tempo, mas também para reunir-se com amigos e botar o papo em dia.
O que parecia consolidado viu grandes mudanças alguns anos atrás com a chegada das partidas online. Com a novidade, o fato de um amigo não poder ir a sua casa (ou morar em outra cidade) nunca foi um problema capaz de impedir duas pessoas de reviver a final da última copa do mundo no simulador de futebol de sua preferência, por exemplo, a qualquer momento.
Contudo, aquilo que parecia ter vindo para aumentar a experiência de jogo acabou por limitá-la. Focados nas modalidades online, os jogos atuais cada vez mais abandonam o multiplayer local em favor de partidas disputadas pela internet. A grande pergunta é: será que isso é o que as pessoas realmente querem?

Dividindo a tela
As televisões aumentam e a vontade dos desenvolvedores diminui


A divisão de tela (ou, se preferir o termo em inglês, splitscreen) é um dos elementos mais tradicionais nos video games. Apesar de ter apenas metade da televisão (ou um quarto em games como Mario Kart e GoldenEye), o sacrifício de uma área da tela, mesmo em televisores de 14 polegadas, sempre compensou pela diversão extra de jogar com os amigos.
A partir daí, seria lógico imaginar que com a criação dos televisores de alta definição, assim como com o aumento do tamanho médio dos aparelhos de TV, o multiplayer local ficaria ainda mais agradável. Ficaria, é claro, caso o modo ainda fosse comum.

Imagem

Como a divisão da tela obriga o jogo a criar entre dois a quatro cenários simultâneos, é comum notar a queda de qualidade dos gráficos no multiplayer em relação às outras modalidades para evitar travar as partidas – algo que é notado em games como Call of Duty: World at War, por exemplo, no qual basta acionar o splitscreen para notar que a visibilidade do cenário cai pela metade do normal.
Enquanto a Activision mantém até hoje a modalidade na franquia, outros desenvolvedores decidiram abandonar o desenvolvimento da modalidade em favor da perfeição nos modos exclusivamente online.

Se for fazer, faça direito


Ao mesmo tempo, outros games que conseguem manter uma boa qualidade visual em seus modos de multiplayer local cometem outro pecado ao limitar as opções oferecidas aos seus jogadores.

Imagem

Borderlands, por exemplo, é um título que só oferece a divisão vertical de tela – algo que corta parte do campo visual dos jogadores. Já games como Halo Reach e Uncharted 3, enquanto oferecem o corte horizontal (mais tradicional), mantém duas bordas pretas nos cantos da tela para manter as proporções originais do jogo.
Tudo isso pode até não se tornar um impedimento para a maior das pessoas. Ainda assim, quando o multiplayer local não recebe o mesmo cuidado que seu "irmão" online, quem prefere chamar os amigos para jogar em casa é prejudicado quase da mesma forma como se a modalidade estivesse ausente.

A revolução online
O fim da era “um contra um”


Apesar de tudo, a predominância online atual não é consequência direta da criação de jogos online, sendo que é igualmente injusto afirmar que a internet acabou com a socialização dentro dos games.
Desde os primeiros MMOs – como Ultima Online – até o bem-sucedido World of Warcraft, o gênero pôde se orgulhar de ser o primeiro a permitir que jogadores do mundo inteiro se unissem para realizar seus objetivos. Ao mesmo tempo, não são raros os casos de pessoas que mantém contato com amigos conhecidos em jogos online, mesmo sem conhecê-los na vida real.


Sendo assim, seria mais correto afirmar que o grande problema do multiplayer local realmente criado pelos games online é outro: a expansão do multiplayer. Enquanto antigamente os desenvolvedores precisavam criar estágios para duas a quatro pessoas, atualmente (com exceção, talvez, de jogos esportivos e de luta) os games têm sido criados para comportar cada vez mais jogadores, precisando de cenários cada vez maiores.
Basta pensar em duas pessoas perdidas em qualquer mapa de Battlefield 3 ou MAG (games que comportam, respectivamente até 64 e 256 jogadores simultâneos) para entender como o desenvolvimento de jogos atualmente é algo completamente diferente do que foi há alguns anos atrás.

Pensando em todo mundo?


Ao criar modos de jogo para serem jogados online, no entanto, os desenvolvedores não deveriam limitar-se. Em Call of Duty: Modern Warfare 3, por exemplo, todos os modos multiplayer podem ser jogados pela internet ou localmente – sendo que nos modos competitivos dois amigos podem dividir a tela de uma televisão e conectar-se a outros jogadores em uma partida online.

Imagem

Se as Spec Ops de Modern Warfare 3 podem ser jogadas localmente, não há nenhum impedimento (fora o capricho dos desenvolvedores) que justifique o fato da campanha cooperativa de Battlefield 3 estar disponível apenas online.
Do mesmo modo, títulos como Grand Theft Auto IV e Tony Hawk Pro Skater HD poderiam receber receber modos multiplayer offline sem nenhum problema. Basta lembrar que os dois jogos são herdeiros de franquias que fazem sucesso desde as últimas gerações, entre outros motivos, por conta de seu multiplayer diversificado.
E você, leitor. Sente falta de poder chamar os amigos em casa para jogar? Prefere games online? Depende do gênero de jogo? Não deixe de expor a sua opinião nos comentários!

Fonte:Nowfragos

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O poder do riso!

Fala-ê Cremosos e Cremosas! Tudo crocante?

Mas uma quinta-feira véspera da tão esperada sexta, e já começamos os preparativos para o fim de semana!

Mas para este é necessário estarmos de bom humor e rir muito, sim Bonitos, rir, pois como bem sabemos este é o melhor remédio e sem sombra de duvidas, a melhor maneira de se preparar para um fim de semana MARA!

Pensando nisso, separei 5 dos meus vídeos favoritos de humor. 

 Espanta:



Samantha Schmutz:


Leandro Hassum:


Bruno Mazzeo:


Marcelo Medici:



E seguindo essa linha a minha Dica de Quinta dessa semana é:







A heróica história do General Aladeen (Sacha Baron Cohen), ditador da República de Wadiya, localizada no norte da África. Ele dedica sua vida inteira a garantir que a democracia jamais chegue ao seu país, enquanto ergue estátuas em sua homenagem e cria seus próprios Jogos Olímpicos. Quando a comunidade internacional suspeita que Wadiya está construindo uma arma nuclear, ele é intimado a se explicar na sede da Organização das Nações Unidas, nos Estados Unidos. Mas seu encontro com a democracia americana não se passa exatamente como ele esperava...

Por essa quinta é isso! Abraços crocantes à todos e até mais!










terça-feira, 28 de agosto de 2012

Um novo conceito em Gráficos - Crysis 3

Graphic Whores, esse post praticamente é pra vocês. Crysis, jogo desenvolvido pela Crytek, e revolucionou os gráficos e a física nos video games. Tem uma história simples, basicamente você controla um soldado único dos EUA que possui uma armadura com nanotecnologia, capaz de fazer coisas magníficas. 

Eu particularmente não ligo muito para gráficos, e sim para o enredo e dificuldade do jogo. Mas esse... Nunca vi nada igual, seja no Crysis 1, 2, e... No 3, é isso ai que vocês podem ver agora.




Bem, não há muito o que falar, as imagens mostram tudo. A Capacidade da Crytek em desenvolver gráficos estonteantes como desse game é algo dispensa comentários. Então, você que tem um pc de qualidade, vá comprar esse game o mais rápido possível, porque eu agora vou ali deitar na minha cama e chorar pois aqui no meu computador não vai rodar. Uma Boa semana.




segunda-feira, 27 de agosto de 2012

One Direction

Percebendo que ainda havia espaço no mercado, a indústria fonográfica lançou mais uma  banda de meninos saudáveis e bem vestidos para defenderem o amor juvenil. Eu me refiro ao fenômeno (sic) da boyband "One Direction" que ocasionalmente pode ser abreviado por "1D".



O grupo é formada por Niall Horan no vocal e na guitarra; Liam Payne, vocal, piano e guitarra; Harry Styles no vocal e violão; Zayn Malik no vocal de apoio e  Louis Tomlinson no vocal principal.

O grupo foi formado em Londres em 2010 e os posteres já se encontram na parede do quarto das meninas de até 12 anos, inclusive na parede da minha prima.

O quinteto foi formado após os seus membros participarem de um reality show musical de nome X-Factor como competidores solos e depois se unirem para concorrerem como grupo. Na ocasião terminaram na 3ª posição do reality.

A carreira do grupo já contém alguns prêmios e os componentes do grupo disseram que suas influências são de grupos como Coldplay, The Beatles e Backstreet Boys (aprovado pelo Luan Hunzicker), além de Lady Gaga e Justin Bieber.

O grupo tem como álbum de estreia "Up All Night" e seu single principal é "What Makes You Beatiful". 

Curtam abaixo a música do álbum de estréia.



Depois de Menunos, New Kids on the Block e dos Backstreet Boys, One Direction é a influência do momento (sic). Espero que tenham gostado do post. Abraços e até a próxima.


Imagens da influência do momento
 

sábado, 25 de agosto de 2012

Erros de Gravação - Os Vingadores

Bom, quem já viu "Os Vingadores" deve ter achado sensacionais algumas sequências de ação, e com certeza se perguntou em alguma parte: cara, como que fizeram isso? Ou o quanto dali é efeito especial.
Acho que com esse vídeo, pelo menos algumas duvidas são sanadas. E é claro, de uma maneira bem divertida. Ele faz parte dos extras do tão esperado Blu-Ray d'os Vingadores, que demorou milhões de anos, ou melhor, quatro meses com carinha de 25, para ser exato. Na verdade, o disco ainda não foi lançado oficialmente, mas já temos pré-vendas, etc., enfim... ele existe, e cá está a prova:



OBS: muitos outros videos com cenas legais, mas a maioria sem áudio, e sem a ÉPICA - nada menos que isso - cena do Thor com o Capitão América. Se eu fosse o diretor, colocava ela no filme!

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

11 maneiras de despertar a ira dos usuários de computadores

Muitos acreditam que a vida após a invenção do computador se tornou muito mais fácil. Poder apagar o que foi digitado errado com uma tecla (algo muito mais complicado de se fazer com as pesadas e monstruosas máquinas de datilografia); pesquisar sobre tudo e sobre todos através de uma simples caixa de texto, sem precisar folhear centenas de páginas de uma enciclopédia; e conversar com pessoas que estão a milhares de quilômetros como se elas estivessem ao seu lado são apenas alguns dos benefícios promovidos por essa tecnologia.

Nesse sentido, realmente temos que concordar que ganhamos uma imensa praticidade e comodidade durante o nosso dia a dia. Contudo, não podemos afirmar que a nossa rotina tenha ficado mais tranquila.

Em meio a uma infinidade de componentes eletrônicos, um emaranhado de cabos e uma série de requisitos de compatibilidade entre softwares, as falhas dos PCs são mais comuns do que imaginamos. E são nesses momentos que aquela máquina tão útil e com ferramentas excepcionais é capaz de despertar a ira de qualquer um de nós.

1. Quando um plugin trava o navegador

Imagem

Sem dúvida, a internet é responsável por uma experiência muito mais rica e prática na frente do computador. Ela realmente permitiu que nós pudéssemos atravessar o mundo sem sair da cadeira. Algo indispensável para isso são os navegadores, que muitas vezes causam dores de cabeça horríveis.

Ao longo do seu desenvolvimento, os browsers deixaram de ser um mero aplicativo de conexão com a web para se tornar agendas, listas de tarefas, players de áudio e vídeo, entre outras funcionalidades que exigem a instalação de plugins. O grande problema é quando esses complementos apresentam falhas e acabam travando o navegador.

Com isso, o browser inevitavelmente precisa ser reiniciado, o que pode fazer com que você perca os dados não salvos nas páginas que estavam abertas. Nessas situações, é como se estivéssemos em um barco com uma bússola quebrada, ou seja, viramos navegadores sem direção.
2. As constantes falhas do modem

Imagem

Uma evolução formidável dos computadores são os notebooks. A portabilidade proporcionada por esses eletrônicos possibilita que tenhamos nossos documentos, aplicativos e jogos onde e quando quisermos.

Todavia, talvez a principal utilidade de um laptop seja permitir que, em uma noite fria de inverno, possamos ficar conectados à internet sem sair debaixo das cobertas. Hum... Nada melhor do que acessar seus perfis em redes sociais, conversar com amigos e familiares e explorar sites e blogs estando bem aquecido.

Pelo menos até que o modem que garante sua conexão com a web apresente erros de DNS, obrigando você a pular da cama para resetá-lo. Embora você esteja no seu quarto, a diferença de temperatura causa a sensação térmica de estar no meio do Polo Norte.
3. Eu acho todas as redes da redondeza, menos a minha

Imagem

O Wi-Fi é outro invento indiscutivelmente revolucionário. Depois que você tem a oportunidade de navegar pela internet sem estar conectado a qualquer cabo, ter que ficar preso a um fio é quase um método de tortura.

Embora acessar redes sem fio seja uma comodidade para qualquer internauta, ela também é capaz de incitar a ira das pessoas. Uma situação muito comum para fazer o seu sangue esquentar é quando o computador ou notebook encontra todas as redes Wi-Fi em um raio que cobre toda a quadra da sua casa, menos a sua conexão – pela qual você paga muito caro!
4. Notificações em primeiro plano

Imagem

Isso já deve ter acontecido com você e provavelmente o deixou enraivecido: durante a execução de um filme épico ou enquanto você enfrentava o chefão final do seu jogo predileto, uma notificação assume o primeiro plano de apresentação do sistema operacional – cortando a execução de qualquer outro conteúdo.

Pronto, isso é mais do que o suficiente para tirar você do sério – ainda mais se forem aqueles avisos completamente desnecessários sobre a atualização de um programa que você usa esporadicamente ou que há alguma configuração a ser realizada na Central de Ações do Windows.

Isso é a mesma coisa que você ser interrompido pela sua esposa ou um bando de “sem-noção” que passa pela frente da TV enquanto você assiste à partida do seu time de coração, com uma cerveja gelada ao lado, em uma tarde quente de domingo.
5. Tirando o foco de digitação

Imagem

Outra coisa que facilmente faz a pressão sanguínea de qualquer pessoa aumentar é o roubo do foco de digitação do teclado. Esse tipo de acontecimento é muito comum em páginas nas quais existem campos de login e senha.

Por algum motivo bizarro, que parece ter sido feito especificamente para irritar você, basta desviar o olho da tela para o teclado (com o intuito de não digitar algo errado) que a seleção do campo é automaticamente passada para outro elemento do site. Assim, o que foi escrito segue para o limbo ou, o que é pior, para um lugar indesejado.

Na vida real, seria como você estar escrevendo um bilhete para o seu chefe quando uma mulher deslumbrante (ou um homem charmoso) entra na loja e tira completamente a sua atenção, fazendo você rabiscar à caneta um documento importante que estava ao lado.
6. Lixoware: instalação de softwares adicionais

Imagem

Ao longo do nosso cotidiano no computador, nós vamos instalando uma série de programas para realizarmos nossas tarefas de forma mais eficiente ou descomplicada. Porém, muitos desses softwares implementam aplicativos adicionais, como spyware, barras de ferramentas e de pesquisa, sem qualquer autorização.

Com isso, quando você se dá conta, o seu navegador já está entupido de barras e adereços – chegando a comprometer o desempenho da máquina e metade da área de visualização do browser. Em uma analogia com o “mundo offline”, seria como encher uma motoneta que não possui nem 50 cilindradas de parafernálias e querer que ela atinja 100 km/h.

Todavia, devemos ser justos, pois há também as empresas que adotam práticas mais honestas e que deixam claro, durante o processo de instalação, que o usuário deve escolher se deseja ou não instalar esses programas complementares.
7. Reinicializando em 3, 2... Agora!

Imagem

Até aqui, nós abordamos diversas situações irritantes. Mais a reinicialização automática do sistema operacional é com certeza uma das que causam mais problemas para os usuários de computador.

Como sabemos, o PC está constantemente realizando multitarefas, ou seja, enquanto você edita um documento, ele permanece executando uma infinidade de outros processos que já haviam sido iniciados ou que permitam o funcionamento do editor de texto.

Quanto atualizados ou na existência de alguma falha, alguns desses recursos têm a “liberdade” de reiniciar o sistema com o intuito de reestabelecer a sua ordem de funcionamento. O problema é que, fazendo isso sem prévio aviso, o sistema acaba pegando você de surpresa – não tendo tempo de fechar e salvar suas tarefas.

Em alguns casos, isso pode causar problemas astronômicos. Imagine-se no controle de uma importante missão militar espacial, que está prestes a ter a sua espaçonave lançada, quando inesperadamente o computador da central de comando resolve reiniciar. É, a contagem regressiva foi abortada!
8. Captchas indecifráveis

Imagem

O captcha é um sistema que funciona como uma espécie de teste para verificar se a pessoa que está tentando acessar determinado conteúdo é realmente um ser humano – evitando que códigos e softwares realizem atividades ilegais ou maliciosas em sites, blogs, redes sociais e outros serviços online.

Porém, alguns captchas exigidos parecem ter sido criados por antigos povos extintos ou raças alienígenas, pois eles são simplesmente indecifráveis. E não adianta pressionar o botão para a exibição de uma nova figura porque cada vez elas vêm mais distorcidas.

Ao nos depararmos com esses caracteres que nem sabíamos que existiam, mais parecemos historiadores, arqueólogos ou egiptólogos tentando decifrar a primeira pedra encontrada na história contendo hieróglifos.
9. Anúncios que perduram pela eternidade

Imagem

Uma prática tem se tornado muito comum na internet nos últimos tempos: é a apresentação de anúncios publicitários que se sobrepõem ou servem de acesso a uma página da internet. A existência desse tipo de propaganda não é o que nos deixa irados, afinal de contas é uma forma de os sites e serviços sobreviverem.

O que deixa qualquer um à beira de um ataque do sistema nervoso é o fato de alguns deles durarem até 15 segundos – período que é praticamente uma eternidade na internet, um ambiente em que velocidade é a qualidade mais significativa. Esperar todo esse tempo para visitar o conteúdo desejado é como se um atleta que disputa os 100 metros rasos largasse com a prova já finalizada.
10. Aqui jaz um PC

Imagem

A tenebrosa “tela azul da morte” persegue os donos de computadores com Windows há décadas. Na verdade, desde que o sistema operacional existe ela tem levado máquinas a óbito em todo o planeta.

Se você já a encontrou em seu PC, sabe que, ao ler aquela mensagem de erro com um plano de fundo azulado, é inevitável sentir um frio na espinha só de pensar em perder todos os seus arquivos e dados.

Entre as lendas urbanas contemporâneas, existem relatos de que jovens tomados pelo medo que, após terem encarado a “tela azul” por muito tempo, saltaram por suas janelas. Essa falha pode ser literalmente fatal.
11. Mouse com vida própria

Imagem

Seguindo a linha de histórias macabras, algumas pessoas afirmam que seus mouses têm vida própria. Os periféricos parecem ser controlados por alguma força sobrenatural e, sempre que você vai clicar em um link ou botão, o cursor é desviado para outra posição da tela, sem você ter movido a sua mão um milímetro sequer.

Caso isso aconteça com você, tenha calma! O mais provável é que o sensor (para modelos ópticos) ou a “bolinha” que aciona os dispositivos mecânicos do seu mouse esteja com defeito. Mesmo assim, esses aparentes impulsos involuntários do mouse podem colocar você em situações constrangedoras.

Por exemplo: você está na sala de informática da sua faculdade ou escola fazendo uma pesquisa para um trabalho. Em um dos sites acessados, existiam links relacionados para mais fontes de informação e alguns anúncios mais “acalorados”.

Você posiciona o cursor sobre o atalho para outra página com conteúdo para a sua pesquisa, mas, no momento do clique, ele inesperadamente pula para cima do banner com luzes piscando. Por azar, a sua colega de sala passava atrás de você nesse exato momento. Não há desculpas, pois dificilmente alguém acreditará que você acessou imagens eróticas sem querer.

.....

Outras delas é convite de jogos no Facebook... (kkkk)   E para você? Qual dessas falhas o deixa mais enfurecido? Existe algum outro problema apresentado pelo seu computador que consegue deixar você vermelho de raiva? Deixe seu comentário e compartilhe suas experiências!

Fonte: Nowfragos & Tecmundo

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Apenas para refletir


Fala-ê Cremosos e Cremosas! Tudo crocante?
Bonitos (as), estou meio sem assunto esta semana, por isso, vou apenas postar um vídeo para que vocês possam apenas refletir um pouco.






Além desse vídeo a minha Dica de Quinta dessa semana é:



Milk é um filme de 2008, dirigido por Gus Van Sant e baseado na vida do político e ativista gay Harvey Milk, que foi o primeiro homossexual declarado a ser eleito para um cargo público na Califórnia, como membro da Câmara de Supervisores de São Francisco.

Milk, um cara carismático e bem-humorado, muda-se de Nova Iorque para São Francisco em 1972, onde planejava com o namorado abrir uma loja de fotografia na Rua Castro, onde à época os gays não eram bem recebidos. Milk resiste e em pouco tempo todo o bairro Castro torna-se referência na luta pelos direitos dos homossexuais.

A luta de Milk o transformou em um líder político, comandando campanhas nacionais pelos direitos dos gays, recebendo inclusive apoios conservadores, como do então aspirante à presidência Ronald Reagan.

Espero que gostem e reflitam! Abraços crocantes à todos!!!


terça-feira, 21 de agosto de 2012

O inicio, o Fim e o Meio do Maluco Beleza




É galera, 23 anos se completam amanhã da morte de um dos maiores músicos que esse pais já viu, ouviu e sentiu. O mito, Raul Seixas. Mas quem foi esse cara? Vou falar um pouquinho.

21 discos e 26 anos de carreira compõem sua carreira, que teve como estilo o bom e velho Rock 'n Roll(e alguns de seus derivados), com uma pitada do grande baião. Tinha um grande interesse por filosofia, literatura, psicologia e afins, que reflete em grande parte de suas obras. Começou sua carreira na banda "Os Panteras", que gravou unicamente o disco Raulzito e os Panteras. O Grupo não deu certo, e após alguns fatos Raul Seixas se tornou produtor musical, que foi onde realmente "desencantou".

Como produtor, Raul fez muitos amigos e aliados. Músicos que o admiravam e gravaram suas músicas, e até mesmo músicos da Jovem Guarda usaram suas letras. Mas ele não se contentou apenas com isso. Quis exercer sua cantoria para o mundo, mas fracassou nos dois primeiros projetos que tentou, "Vida e obra de Johnny McCartney" e "Sociedade da Grã-Ordem Kavernista apresenta Sessão das 10", ambos censurados pela ditadura militar.

Nos anos 70, Raul Seixas é convencido a participar do Festival Internacional da Canção, onde faz grande sucesso e tem o reconhecimento tanto da crítica quanto do publico. Nesse mesmo festival, Raul conhece Paulo Coelho, com quem faz uma das maiores duplas da história do Brasil. Através da Sociedade Alternativa (uma sociedade dos dois baseadas nos ensinamentos do Bruxo inglês Aleister Crowley) e de sua divulgação, ambos foram presos pela ditadura e exilados do Brasil, mas voltaram devido a venda estrondosa  de seu LP Gita. Apos isso, lançou o LP "Nova Aeon", que não foi muito vendido, mas recuperou o sucesso com o disco Há Dez Mil Anos Atrás, e depois, "O Dia em que a Terra Parou" e "Porque os Sinos Dobram", consolidando de vez o seu nome na história da música nacional. Só que, a partir de todo esse sucesso, veio o grande problema de Raul Seixas: O Álcool.

Apos ir se degradando com o tempo, Raul Seixas ainda consegue mais dois discos de ouro, um com o álbum com seu nome, e outro  Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! (sim, tive que copiar do Wikipedia esse nome). Depois desses dois sucessos, Raul infelizmente chegou a morte,devido a uma pancreatite aguda fulminante, pelo fato do excesso de álcool e a falta do uso de insulina (já que ele era diabético).

Raul Seixas não foi um simples músico ou produtor brasileiro. Revolucionou no meio de uma ditadura com músicas anarquistas. Após a sua morte, continuou fazendo sucesso e sendo ovacionado não só por fãs "leigos" de música, mas sim, reverenciado por mitos do nosso Brasil. Amanhã fara 23 anos da sua morte, mas tenho absoluta certeza que, daqui a mais 23 anos haverá homenagens assim como esta ou muito mais completas sobre esse mito que nasceu em nossa nação. Obrigado, Raul.


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Pe Lanza foi preso!

O blog ficou alguns dias sem atualizar suas postagens e hoje também não está sendo algo muito bem elaborado, tudo por culpa de uma notícia que abalou todo mundo nos últimos dias. " Pe Lanza foi preso!"
Isso mesmo, Pe Lanza foi preso!!!

É com muita tristeza no coração que dou essa notícia e faço a reação do vídeo a seguir, a minha.




Menina de 10 anos fã de Pe Lanza se desabando em lágrimas ao saber que o talentosíssimo (sic) Pe Lanza foi preso ao recusar-se a fazer o teste do bafômetro. Não tem preço! 

P.S: Quando essa menina crescer ela vai ter muita vergonha de ter gostado um dia do Pe Lanza e pior, ter chorado por conta que ele foi preso. Imagino o escândalo que ela vai fazer quando descobrir que ele nem gosta das fãs.

Espero que não tenham gostado do post. Amanhã voltaremos a programação normal.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A dor da perda


Fala-ê Cremosos e Cremosas! Tudo crocante?

Meus queridos, sei que este não é o clima do Blog, mas, esta semana estou meio “down” e por esse motivo pensamentos sobre morte não me saem da cabeça...

Pena não ser capaz de expressar esses pensamentos e sensações tão bem quanto alguns. Creio ser algo impressionante poder extrair da dor da perda de alguém querido, inspiração para criação de verdadeiros Réquiens do luto.

Porém, apesar de não ser capaz de expressar meus sentimentos dessa maneira, sei (e muito bem) apreciar alguma perolas que surgem de momentos como esse.

Aqui vai o meu “TOP 5” particular de algumas obras primas que surgiram espiradas em algum tão difícil de se superar.

1ª Flor de Lins – Djavan: Lançada em 1976. Foi o primeiro single promocional de seu primeiro álbum de carreira, A Voz, O Violão, A Música de Djavan, de 1976. O que poucos sabem é que esta canção foi inspirada na morte da esposa de Djavan, Maria, que morreu dando a luz a sua filha Margarida (que também morreu por complicações durante o parto). Em um trecho ele diz: “E foi assim que eu vi / Nosso amor na poeira,  / Poeira /  Morto na beleza fria de Maria / 
E o meu jardim da vida /  Ressecou, morreu /  Do pé que brotou Maria / Nem Margarida nasceu.





2ª Tears in Heaven – Eric Clapton: Esta talvez seja a mais conhecida de todas. Canção lançada em 1993 retrata a dor da perda de seu filho Conor, morto em 1990 num trágico acidente em Nova York. 




3ª Candle In The Wind – Elton John: Lançada originalmente em 1973 como uma homenagem a atriz Marilyn Monroe, a canção foi relançada em 1997 como forma de homenagear a Princesa Diana, morta em acidente de carro em Paris. 





Sunday Blood SundayU2: Canção de cunho político foi lançada em 1983. Em sua letra forte e sua batida militarista, a banda fala do episódio que ficou conhecido como Domingo Sangrento, onde no dia 30 de Janeiro de 1972, 14 manifestantes foram mortos por tropas britânicas na Irlanda do Norte.






5ª Over The Rainbow – Judy Garland: Composta em 1930, a canção só foi lançada em 1939. Há quem diga que esta musica fale de esperança, porém, eu sempre a associei a morte, talvez eu faça isso devido ao trecho: “Wake up where the clouds are far behind me / Where trouble melts like lemon drops / High above the chimney tops thats where you'll find me (...)”

Claro que isso vai de cada um, do momento em que cada um esta.



Dica de Quinta 

Seguindo essa linha um tanto quanto melancólica, a minha dica de quinta dessa semana o livro “Eu” de Augusto dos Anjos.



“Eu”, é o único livro de poesia de Augusto dos Anjos, publicado no Rio de Janeiro no ano de 1912.

A obra se destaca pela visão da vida, numa espécie de réplica à idealização dos temas praticados pelo Parnasianismo. Nessa obra, o autor exprime melancolia, ao mesmo tempo em que desafia os parnasianos, utilizando palavras não-poéticas como verme, cuspe, vômito, entre outras. A obra só possuiu grande vendagem após a morte do poeta. Alguns a consideram uma obra expressionista, outros vêem nela características impressionistas, sendo comumente classificada como pertencente ao pré-modernismo brasileiro. Ele também foi considerado romântico por muitos dos seus críticos brasileiros pois sua poesia parlamentarista não agradou a todos os intelectuais negligentes da época.

Admiro grandemente a capacidade que alguns possuem de usar a dor da perda de alguém querido e, escrever a respeito. Eu, não conseguiria. E é por isso que resolvi fazer este post.

Bem bonitos (as) chega de melancolia por hoje. Espero que gostem e deixem seus comentários. Abraços crocantes à todos e até a próxima quinta!