terça-feira, 30 de abril de 2013

Futuros Distópicos

Distopia. Antônimo de Utopia, ou seja, a antítese de uma sociedade ideal. E, no caso do post de hoje, Futuros Distópicos serão citados por aqui. Então, sem mais delongas...


Apocalipse Zumbi



O mais pop atualmente.Temos inúmeras referencias em séries, HQs, Cinema, Games,entre muitos outros. Basicamente, algum imbecil gerou um vírus que ressuscita parcialmente o cérebro do ser Humano, dando a ele apenas a noção de movimentação e fome, ou seja, querem te comer de todo o jeito. Se você nunca viu essa distopia, existe um mundo la fora do seu WoW, amigo.


Controle Governamental/Industrial



Bem, o nome é auto-explicativo. Algum comandante poderoso chega ao poder, e acaba gerando uma opressão na população. Esse poder, geralmente surge pela promessa de uma utopia desses comandantes, que recebem tudo ao contrário. Tipo a Russia século passado.


Alienígenas



Extra-terrestres invadem a Terra, matam você, comem a sua filha e sequestram seu cachorro. Basicamente, é isso.


Cyberpunk



Talvez o mais interessante dentro desses futuros distópicos. Quando a tecnologia supera o ser humano. Tudo baseia-se nela, há o avanço tecnológico, mas não o do ser humano. Eu, Robô, talvez seja um exemplo disso, avanços tecnológicos que tiraram a necessidade do ser humano, ou melhor, transformaram o ser humano em seres com poderes maiores que podem controlar, gerando uma Anarquia, e consequentemente o Caos.


Viagens Espaciais


Talvez, a distopia disfarçada de Utopia. Em Star Trek podemos ver algo parecido, onde a terra vive uma Utopia, enquanto no espaço, é a merda rolando pra todo lado, e tripulantes enlouquecidos.


De fato, muitos tipos de futuros distópicos são praticamente impossíveis de acontecer, mas, outros não. Talvez, inúmeros locais do mundo já vivam uma distopia sem sequer notarem isso. Controles governamentais, pão e circo, entre muitos países do Oriente Médio, onde pessoas apenas existem, não vivem.

Desculpem pela demora e pelo curto post, mas, o tempo esta curto. Um abraço a todos.


segunda-feira, 29 de abril de 2013

Revista Herói

Se o ano de 1994 fez parte da sua infância, com certeza você irá se lembrar da revista Herói.

Em uma época que não existia internet, a revista Herói foi o único meio de acompanhamento de séries de TV, especialmente de super-herois, tratando também de spoilers, bastidores e curiosidades sobre as séries.

A popularidade alcançada pela revista coincide com o ano que "Os Cavaleiros do Zodíaco" chegaram ao Brasil; a revista Herói virou a revista "oficial" do anime. Toda semana novas edições eram lançadas e quase sempre estavam os cavaleiros na capa.

Veja todas as capas das edições até o número 23:


Herói Gold 

Á partir da edição de número 24 a revista aumentou o número de páginas e passou a se chamar Herói Gold e o sucesso continuou, pois a nova versão além de ter mais páginas, tinha maior conteúdo, além de promoções e ainda por cima, continuava o mesmo preço.




A maioria das edições eram lidas por todos, pois muitas pessoas colecionavam e ainda por cima algumas dessas revistas eram vendidas como kits escolares ( aquelas pessoas que vão na sala de aula e vendem por R$10,00 e no pacote vinha várias edições).



Herói 

Em 1996 a revista mudou seu formato novamente e dessa vez ficou um pouco maior, logo que as primeiras edições eram revistas em formato pequeno.


Se vocês ampliarem a imagem perceberão que o preço da revista era míseros R$ 1,95. Um preço bem acessível para que os pais pudessem comprar para os filhos. Mas a mudança de formato não gerou o sucesso que antes tinha e a popularidade da revista diminuiu.Talvez  por ter muitas outras no mercado da concorrência e a revista andava meio estagnada também. 




Herói 2000 

No ano de 1999 a revista passou a se chamar Herói 2000. 

Era uma revista totalmente nova, com nova equipe criativa, nova editora, novo formato (formato americano de comics), o mesmo conteúdo de antes, mas que tentava resgatar a grandiosidade de outrora, com design arrojado e tendo em vista o que acontecia no mundo nerd naquele momento, sem aquele saudosismo da encarnação anterior.














A ideia parecia ótima, e agarrada a um nome forte, rendeu algumas boas edições e durou um tempo razoável, logo que a internet veio com força e roubou o espaço dessas publicações.


Essas revistas fizeram sucesso em uma época que internet era coisa rara e fizeram parte da história de muita gente. Abraços a todos.



Fontes: 


Site Oficial 





sexta-feira, 26 de abril de 2013

Conheça DualShock 4 o novo controle da Playstation

No final do ano será lançado o novo Playstation 4 e junto com ele virá o novo controle batizado de DualShock 4 com novas funções. O vídeo abaixo faz uma introdução deste novo controle mais arrojado e bonito. Acompanhe:





Como vocês puderam observar no vídeo o  joystick é mostrado em detalhes, desde sua ergonomia até suas funções extras, como o botão “Share”, que permite compartilhamento de conteúdo. Os produtores lembram também que o DualShock 4 abre um grande leque de possibilidades para jogos, seja por conta do visual arrojado ou por suas novidades embutidas. O painel sensível ao toque mostra que a empresa pretende inovar, ao remover os botões Start e Select e expandindo suas possibilidades.

Além da função Start e Select, ele também pode servir para interações dentro do jogo, em determinados momentos em que os botões presentes no controle podem não ser o suficiente, como movimentar menus adicionais em um game, por exemplo.

Vale lembrar que o DualShock 4 também tem um sensor de movimentos no topo, como o PlayStation Move, também mencionado no vídeo. Este sensor promete ser ainda mais apurado e mais bem utilizado nos jogos. Além disso, o novo joystick possui uma entrada nativa para fones de ouvido.

Quem está ansioso para o lançamento do novo Playstaton 4 comenta aí. Abraços a todos e até a próxima.

Via PSBlog

quinta-feira, 25 de abril de 2013

2014, a Copa que o Brasil já perdeu


Fala-ê pessoal, hoje no fim da tarde li um texto no site da ESPN Brasil, e ele acabou com minhas dúvidas sobre o que eu iria postar hoje.. então aí vai


2014, a Copa que o Brasil já perdeu

O Brasil será o grande derrotado na Copa do Mundo de 2014. Esqueçam esquemas táticos, análises técnicas, convocações, gols ou arbitragem. A derrota não virá numa zebra nas oitavas de final contra a Bélgica, num duelo épico de quartas contra a Itália, numa semifinal angustiante contra a Espanha ou num Maracanazzo reloaded contra a Argentina.

A derrota já veio. O Brasil perdeu a Copa de 2014.
Getty
Marin, Ronaldo e Valcke: trio está na cabeça da 'operação Copa do Mundo'
Marin, Ronaldo e Valcke: trio está na cabeça da 'operação Copa do Mundo'

O Brasil perdeu, leiam bem. O que vai acontecer com a seleção brasileira é outra história. Uma história que muda pouco o que realmente importa. O Brasil perdeu a Copa de 2014.

Um evento como a Copa é a chance de um país mudar, se redescobrir, sanar problemas e construir soluções, mesmo que seja sob a fajutíssima desculpa de "o que o mundo vai pensar da gente se não estiver tudo dando certo?". Que seja, dane-se a pequenez da desculpa, desde que sejam construídas estradas, linhas de metrô, corredores de ônibus, elevadores, hotéis, e, vá lá, até um ou outro estádio.

Vipcomm
O resultado do time de Felipão pouco importa: o Brasil já perdeu
O resultado do time de Felipão pouco importa: o Brasil já perdeu
A Copa do Mundo é, para os tempos de hoje, o que foram as tais "Exposições Mundiais" no século 19. Era preciso se arrumar para receber visitas em casa.

Mas o Brasil hoje corre para retocar a maquiagem, empurra a vassouradas a sujeira para debaixo do tapete, tranca os cachorros pulguentos na despensa e manda a criançada dormir mais cedo, porque sabe como é criança quando chega visita, desanda a falar cada coisa...

Faltam pouco menos de dois meses para a Copa das Confederações, e o estádio da final não está pronto. Aquele estádio na Zona Norte do Rio, que foi erguido no lugar do Maracanã ao preço mirabolante de 1 bilhão de reais; e que terá de ser reformado para a Olimpíada.

(Aqui, um parêntese: todas as reportagens sobre estádios da Copa têm a obrigação de falar quanto custou e quem financiou a obra; isso é utilidade pública, antes de mais nada).

Faltam menos de dois meses para a Copa das Confederações e nenhum aeroporto teve reformas significativas concluídas. Pouco mais de um ano para a Copa do Mundo e os taxistas que falam inglês continuam a ser uma raridade, as placas de trânsito seguem indecifráveis para estrangeiros, os hotéis e vias públicas não vão dar conta do recado, obras de mobilidade urbana de Manaus, Brasília e São Paulo não ficarão prontas - umas foram canceladas, outras postergadas, todas custaram irreversíveis milhões e não é difícil adivinhar quem pagou a conta.

Divulgação
O 'novo Maracanã': para 2016, mais reformas
O 'novo Maracanã': para 2016, mais reformas
A um ano e dois meses do começo da Copa, o presidente do Comitê Organizador Local está cercado por denúncias, e não é para menos. José Maria Marin, o homem que gere a operação Copa do Mundo no Brasil, passou seus mandatos de deputado bajulando delegados ligados às torturas da ditadura, superfaturou a sede da CBF, negociou apoio na aprovação de contas da confederação dando cheques a seus eleitores.

Enquanto isso, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, diz que a organização da Copa do Mundo no Brasil seria mais fácil se o país fosse menos democrático e tivesse menos esferas de governo, legal é a Rússia, que tem um poder centralizado e menos palpiteiros.

A organização da Copa do Mundo seria mais fácil, monsieur Valcke, se ela estivesse nas mãos de gente diferente.

De gente que não estivesse interessada apenas em sugar dinheiro do país com o benefício de isenção de impostos. A organização da Copa do Mundo seria mais fácil se ela fosse feita para, de fato, deixar o país com algumas pequenas vitórias em áreas que vão muito além do campo de jogo.

O Brasil de Felipão, de Neymar, de Ronaldinho ou Kaká, o Brasil pentacampeão, seja com volantes classudos ou brucutus, pode ganhar ou perder a Copa de 2014.

O Brasil de 200 milhões de pessoas, aquele que acordará no dia 14 de julho de 2014 para trabalhar, este sairá da Copa derrotado. Qualquer que seja o resultado da final.


Por: Thiago Arantes - ESPN Brasil

quarta-feira, 24 de abril de 2013

O país da desigualdade

Um assunto muito antigo, porém, infelizmente extremamente atual: A desigualdade social.




Me pergunto se é justo um jovem de uma escola estadual ter um ensino inferior em relação ao mesmo jovem  que estuda numa escola particular. Ou um idoso que ganha um mísero salário mínimo de R$ 680,00 não ter o mesmo tratamento de saúde que um senhor aposentado que ganha mais de R$ 2.000,00 e tem casa própria. E mais ainda: Uma pessoa que, por ter tido uma oportunidade de estudo maior, ter mais condições que uma pessoa que foi criada em uma favela e não teve um olhar de compaixão por aqueles que deveriam honra-la. E não é preconceito, garanto a você, de minha parte. É a mais pura realidade.

O povo vai às urnas com a esperança de que seu voto possa fazer alguma diferença e que o candidato no qual ele depositou seu voto irá representar sua comunidade, dando assistência necessária para que se tenha uma educação de qualidade. Além de segurança, saneamento básico, infraestrutura, moradia e etc. É o mínimo que se deve esperar, mas  convenhamos, elas só esperam porque nada disso acontece.

A educação no Brasil é de péssima qualidade, a saúde e precária, não tem infraestrutura. Poucos lugares contam com saneamento básico ou moradia de qualidade. Sem contar que não tem sequer segurança.



O brasileiro sai de casa com a incerteza de se vai voltar ou não. Tem hora para entrar e sair de casa. Estamos trancados em nossa própria casa. Os bandidos estão na cadeia ( ou pelo menos alguns deles ), mas somos nós que estamos presos.

Enquanto um rico está quentinho, aconchegado, comendo do bom e do melhor, nessa noite, existe uma boa parcela da sociedade que está passando frio e fome. 

Mas por quê? Qual razão será essa que impede que uma criança, que não tem condições financeiras, ter direito a uma boa educação? Um idoso ser tão mal tratado numa maca de hospital, abandonado no corredor como se não fosse nada! É justo isso? Eu não me conformo. E o pior, não sou só eu, mas todos estão acostumados com isso. A justificativa também é sempre a mesma: " É Brasil".

Não venham me dizer que quem quer consegue passar em uma faculdade, mesmo tendo estudado a vida inteira em uma escola pública, porque não é bem assim que funciona. 

Concordo que exista exceções, mas são casos de pessoas superdotadas de inteligência e que, mesmo sendo pobre, tem uma estrutura familiar boa. Mas e quem não tem?

Responda: Uma família de mãe solteira com dois ou três filhos, que trabalha como empregada doméstica e que ganha um salário de R$680,00 por mês, que paga aluguel, água, luz, creche para cuidar dos filhos, porque não tem vaga nas creches públicas, responda leitor. "O que sobra para ela comer?" Acredito que sobre 150 ou 200 reais no máximo. Você e sua família conseguem passar o mês com esse valor?

E o seu vereador sentado no banquinho, no banquinho não, na poltrona... Consegue comer e sustentar uma família com esse valor?

Esse é um caso muito comum. Essa mãe existe. Ela tem que trabalhar também nos finais de semana, fazendo bico, para poder conseguir viver se não ela e os filhos morrem de fome. 

E que tempo sobra para elas e os filhos? Nenhum. Resultado: Sem a mínima estrutura familiar. Com zero em educação, em saúde e segurança.

E como fica o futuro dessa e de outras milhares de famílias? Quem terá chance de crescer? Isso é justo? Está certo?

Para mim não, mas eu como a maioria dos brasileiros já estou acostumada e muito acomodada com a situação. E justifico a desigualdade social com aquela velha desculpa: " É Brasil".   

terça-feira, 23 de abril de 2013

Casamento Gay aprovado na França



Essa semana, na França, foi aprovada uma lei que permite o casamento de casais do mesmo sexo, e que os mesmos podem adotar crianças, o que gerou uma revolta de parte da população nacional. Protestos e mais protestos para demonstrar o quanto a humanidade ainda possui de atraso mental.

A França, pais que nã opassa por momentos financeiros dos bons, sempre foi conhecida por ser mais mente aberta e receptivo, desde a época do Iluminismo, marcados em seguida por aceitar Negros em seu território sem tanto preconceito quanto fora. E agora? Toda essa aceitação sumiu? Sério que não há nada mais importante no país pra se preocupar do que essa lei? Não cabe a mim opinar a cerca da lei, e sim das atitudes animalescas dos cidadãos que protestaram contra.

O Fato é que, o ser humano, mesmo onde pelas "leis da ética e da discriminação mundial" era pra ser mais avançado, continua tendo atitudes de animais irracionais. Alguém que olha um ser humano diferente pelo seu gosto, não ta muito diferente de alguém que dizia buscar uma raça pura, ou aquele que trata mulher que nem merda por causa de religião.

Franceses que cuidem do seu país de uma forma um pouco melhor, já que enquanto a sua economia desmorona, tem gente ameaçando deputado de morte por causa de uma lei que vai contra a moral que pensam ter.

Um abraço.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Famosos jogos clássicos de vídeo game que você nunca viu o final

Existe muitos jogos considerados clássicos por muitos, jogos esses que tem uma popularidade incrível que, muitas vezes,  é devido a sua jogabilidade simples. Jogos como Tetris ou Pac Man e porque não Snake o famoso jogo da cobrinha. Mas você já parou para pensar que não se vê relatos de alguém que tenha finalizado alguns desses jogos? Ou você já viu a fase final do Tetris ou do Pac-Man?

Fiquem sabendo que alguém já finalizou estes jogos ou simplesmente bateram o recorde do game. E pensando na popularidade desses jogos e na curiosidade de todos eles que o blog mostrará agora um pouco sobre as fases finais desses games e algumas de suas curiosidades. Acompanhem:

Como conselho, vejam os vídeos até o final, pois valem muito a pena.

Pac-Man

A mecânica do jogo é simples: o jogador é uma cabeça redonda com uma boca que se abre e fecha, posicionado em um labirinto simples repleto de pastilhas e 4 fantasmas que o perseguem. O objetivo é comer todas as pastilhas sem ser alcançado pelos fantasmas  'blinky', 'pinky', 'inky' e 'clyde', que  escapam de uma prisão, em ritmo progressivo de dificuldade. Em cada canto da área de jogo, estão pastilhas maiores que permitem pac-man caçar os fantasmas, em vez de ser caçado, durante um curto período de tempo.

Pesquisei diversos vídeos e informações na internet e descobri que Billy Mitchell é o detentor do recorde mundial do Pac-Man. O recorde - homologado pela Twin Galaxies - foi logrado durante uma disputa entre Estados Unidos e Canadá. Ele levou mais de 6 horas para completar o jogo, conseguindo alcançar a pontuação máxima do jogo que é 3.333.360 pontos. Para isso ele teve que completar 256 telas. E detalhe: não perdeu uma única vida.

Não encontrei o vídeo da façanha deste jogador, mas encontrei no You Tube a tal fase de número 256 que é conhecida por muitos como o nível que não se pode avançar mais. 

Achei estranho o bug na tela, porém todos os outros que encontrei possuíam as mesmas características.




Tetris

Outro jogo muito popular  que, com certeza, você já deve ter jogado naquele seu  famoso mini-game clássico ( Brick Game ) que vinha com mais de 500 jogos repetidos.

Baseado no quebra-cabeça Pentaminó, onde foi retirado um dos blocos (ficaram 4) e nomeado com o prefixo quatro em Grego: Tetris.

O jogo consiste em empilhar tetraminós que descem a tela de forma que completem linhas horizontais. Quando uma linha se forma, ela se desintegra, as camadas superiores descem, e o jogador ganha pontos. Quando a pilha de peças chega ao topo da tela, a partida se encerra.

Como curiosidade, dois blocos formam o dominó e assim por diante, no caso do Tetris é o tetraminó ou quatro blocos.


Campeões Interncionais de Tetris:

2000: Alex Tseng 2001: Gustavo Hoffmahn 2002: Louis Le Clod 2003: Miles Hazard 2004: Luis Gustavo 2005: Lucas Moura 2006: Xing Long Ling 2007: Thomas Vermaelen 2008: Thomas Vermaelen 2009: Felipe Civita 2010: Thomas Vermalen 2011: Luis Gustavo 2012: Chandler Bing

Reparem que Lucas Moura e Luis Gustavo são brasileiros. É o Brasil em destaque lá fora.

Apesar da listagem de campeões, desde a primeira versão para consoles, lançada em 1988, somente em 2009 alguém conseguiu chegar na pontuação máxima do jogo. No dia 19 de Abril de 2009, o estadunidense Harry Hongo atingiu a pontuação máxima 999,999

Veja o vídeo oficial do record:



This is the Official World Record for NES Tetris. This was achieved on April 19, 2009 and was verified by Twin Galaxies on May 1, 2009. This was played by Twin Galaxies rules meaning no cheats or glitches were used whatsoever. This run was played on an NES console and recorded with a VCR. Thanks for viewing.


- Harry "SuPa" Hong



FAQ:



Q: There is no Tetris "flash" after level 18. What's up with that?



A: It is most likely due to frame loss during the video capturing process. 



Q: How did you start on level 18?



A: On the level select screen, if you hold the "A" button and press the "Start" button, you will jump 10 levels depending on which level you chose.



Q: Why did the score stop at 999,999?



A: 999,999 is the highest score possible on this game. It does not roll over or go past 999,999.



Q: Why did you stop on level 29?



A: Once level 29 is reached, it is humanly impossible to effectively maneuver the pieces. The game was meant to end at level 29.




Quis manter a língua original do conteúdo que explica porque o vídeo é considerado verdadeiro e sem fraudes.


Snake

Conhecido como simplesmente o jogo da cobrinha, um jogo que todos jogaram no seu Brick Game e também nos seus celulares antigos da Nokia. Em Snake o jogador controla uma longa e fina criatura que se arrasta pela tela, coletando comida (ou algum outro item), não podendo colidir com seu próprio corpo ou as "paredes" que cercam a área de jogo. 

Cada vez que a serpente come um pedaço de comida, seu rabo cresce, aumentando a dificuldade do jogo. O usuário controla a direção da cabeça da serpente (para cima, para baixo, esquerda e direita) e seu corpo segue.

Segue abaixo um vídeo de um jogador finalizando o jogo. E apesar de você pensar de se tratar de um mutante, na realidade é só um Russo mesmo. Vale a pena ver até o final.



Matei a curiosidade de vocês que eu sei. E se você chegou até aqui e não viu nenhum dos vídeos, aconselho a você voltar e ver o quanto são habilidosos os jogadores que bateram os records. 

Aguardo vocês nas próximas postagens e se tiver alguma sugestão de outros jogos que você gostaria de uma matéria sobre é só deixar aqui nos comentários.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Kekko Kamen


Para vocês que gostam de animes e super herois japoneses, eu lhe apresento uma heroína diferente: Baseada no Mangá de Go Nagai esta é Kekko Kamen.




Kekko Kamen que significa algo do tipo heroína mascarada é uma tradicional heroína japonesa que...Não espera! ..Acho que não é isso. Vou começar de novo...

Vestindo um traje que consiste em unicamente de botas vermelhas, luvas, um cachecol e uma máscara contendo enormes orelhas de coelho, mostrando a maior parte do seu corpo nu, Kekko Kamen luta contra vilões predadores sexuais. Isso mesmo!!

Em uma escola no Japão, os professores estão constantemente procurando maneiras de torturar ou humilhar as alunas, principalmente a frágil  Mayumi  Takahashi. A pena para qualquer estudante que cometer o menor erro é ser sexualmente humilhada pelos professores pervertidos. A única maneira de se protegerem é contando com a proteção da figura misteriosa conhecida como Kekko Kamen. Antes que os professores levem seus avanços sexuais muito longe, nossa heroína chega para salvar o dia.

Usando seu nunchaku e suas técnicas acrobáticas de luta, Kekko Kamen derrota todos os vilões que, por vezes, ficam apaixonados pela sua beleza corporal.




Por falar em técnica de luta, seu mais poderoso golpe chama-se Pubic Hair Jump (Salto dos pelos pubianos) que consiste em um salto pelos ares feito pela heroína espalhando suas pernas, distraindo o inimigo com sua virilha e depois bate com a mesma em seu rosto. O impacto e a distração faz com que os inimigos percam a consciência. Esparramado e inconsciente no chão, o vilão geralmente fica com um sorriso no rosto.




Durante a série, muitas alunas são suspeitas de serem a heroína mascarada, porém sua identidade nunca é revelada nem nos filmes live-actions nem nas séries OVA. Sua identidade só foi revelada no último capítulo do Mangá e para você descobrir, só lendo mesmo.

E por falar em filmes live-actions, segue a baixo a lista dos 10 filmes já estrelados pela heroína:

Kekko Kamen: (1991)
Kekko Kamen 2: We'll be back... (1992)
Kekko Kamen 3: Kekko Kamen in Love (1993)
Kekko Kamen: New Kekko Kamen (2004)
Kekko Kamen: Mangriffon no Gyakushu, também conhecido como Kekko Kamen: A MGF Strikes Back) (2004)
Kekko Kamen Returns (2004)
Kekko Kamen Surprise (2004)
Kekko Kamen Royale (2007)
Kekko Kamen Premium (2007)
Kekko Kamen Forever (2007)

* A atriz que interpretou Kekko Kamen na primeira trilogia de 1991 à 1993 foi  Chris Aoki
* A atriz que interpretou a segunda trilogia de 2004 foi Shino Saito e em Kekko Kamen Returns foi Misaki Mori
* A última trilogia no ano de 2007 foi interpretada pela famosa atriz de filmes adultos japonês  Maria Ozawa 

Embora possa parecer e por ser considerado por muitos uma série hentai, a série não tem muitas situações sexuais explicitas, nem na série de anime, nem no mangá e muito menos no live-action. Embora haja cena de mulheres nuas abundantemente em todos eles, a série está mais para comédia bizarra mesmo.

A ideia da série surgiu de uma paródia da série Gekko Kamen, onde Nagai enviou uma piada para seu editor que ao invés de rejeitar acabou gostando e divulgando.

Um episódio do OVA com legendas em Português você assiste aqui 


Bônus 

Trailer oficial do 11º filme lançado em 2012: Kekko Kamen Reborn. 




 Kekko Kamen neste filme é interpretada pela atriz Aino Kishi.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

NBA – Playoffs

A Associação Nacional de Basquete, ou, National Baskettball Association (NBA) é a liga mais forte de basquete do mundo, pode ser que a Liga Europeia chegue um pouco mais perto, mais disparado a NBA é melhor porque concentra a esmagadora maioria dos melhores jogadores do mundo desse esporte.

O Basquete é um dos esportes mais populares dos EUA, e como todo esporte, ele tem suas doses altas de emoção, jogos definidos nos segundos finais, muitas paradas técnicas e muito, muito público. Alguns brasileiros conseguem destaque na NBA, como Leandro Barbosa (Leandrinho) – Boston Celtics, Thiago Splitter – San Antonio Spurs, Anderson Varejão – Cleveland Cavaliers e Nenê – Washington Wizards. Os dois primeiros, Leandrinho e Splitter estão em times bons e classificados para os playoffs dessa temporada.




Aliás esse é o assunto, PLAYOFFS, imagine a Taça Libertadores, que está a todo vapor, primeiro vem a fase de grupos, de classificação e depois o bicho pega no famoso ‘mata-mata’, então, playoffs são os ‘mata-matas’ da NBA.
Só que lá a pegada é outra, diferente dos jogadores frescurentos de futebol que reclamam do calendário aqui, a NBA conta com a participação de nada menos que 30 equipes, divididas em 2 grupos de 15 times cada. Os grupos são denominados Conferência Leste e Conferência Oeste, bem simples, times da parte Leste do país e vice-versa. A tabela de cada um tem OITENTA E DOIS jogos, isso mesmo, 82.

Dentro das Conferências Leste e Oeste, existem várias outras divisões, muito difícil parar e explicar aqui, o fato é que jogam todos contra todos de ambos os grupos, três ou quatro vezes cada. Entendeu ? Cada time joga 3 ou 4 vezes contra o mesmo time durante a fase de classificação, imaginem ter 4 Palmeiras e Corinthians em um único campeonato brasileiro? Haha... Enfim, tem times que jogam 3 dias consecutivos, descansam 1, jogam mais 2 e pora-ê vai, de segunda a segunda tem jogo. Isso sim que é campeonato, e aqui os futebolistas reclamam do calendário...

Passam aos playoffs, os 8 primeiros times de cada conferência. Este ano se classificaram:

Conf. Leste: Miami Heat, New York Knicks, Indiana Pacers, Brooklyn Nets, Chicago Bulls, Atlanta Hawks, Boston Celtics e Milwaukee Bucks, respectivamente.

Conf. Oeste: Oklahoma City Thunder, San Antonio Spurs, Denver Nuggets, Los Angeles Clippers, Memphs Grizzlies, Golden State Warriors, Los Angeles Lakers e Houston Rockets, respectivamente.

Os favoritos a vencer são o atual campeão Miami Heat, do astro e atual melhor jogador do mundo, o mito que já bateu recordes de Jordan, LEBRON JAMES.
O time que eu torço, atual vice-campeão Oklahoma City Thunder, da máquina de cestas Kevin Durant, let’s go OKC!
San Antonio Spurs, o time de Thiago Splitter vem forte na disputa e conta com Tony Parker, o rei das assistências.

Só para constar, os playoffs da NBA não são como o mata-mata, que são apenas 2 jogos, lá é mata-mata-mata-mata-mata-mata-mata, não escrevi errado não, são 7 jogos mesmo. Ou seja, quem vencer 4 jogos na série se classifica, pois o outro time poderia chegar no máximo a 3 vitórias, totalizando os 7 jogos necessários. Então quem chegar a 4 vitórias primeiro passa de fase.
Os playoffs são feitos por conferência, sendo a grande final da NBA o campeão da Conferência Leste contra o campeão da Conferência Oeste.

É isso ae galera do mal, até quinta que vem ;)

quarta-feira, 17 de abril de 2013

O amor é outra coisa


De repente a pessoa para quem você conta seus segredos, divide suas mágoas, compartilha as suas alegrias, passa a ser mais que um simples confidente e se torna o dono de seus pensamentos.

Do nada você olha para ele com outros olhos, fala com ele com outra boca (porque quando a pessoa está apaixonada ela mexe os lábios diferente, repare), ouve a pessoa com outros ouvidos, enfim, tudo se transforma dentro e fora do seu ser.

Se você leitor se identificou nesse perfil, saiba que tu estás apaixonado por teu amigo(a)! 

Porém há um grande risco de você estar confundindo as coisas. Lembra daquela velha frase que diz que o amigo é a família que a gente escolhe? Então, quando nós escolhemos  alguém para ser nosso amigo, escolhemos quem nos compreende, nos ouve, enxuga nossas lágrimas, dá o ombro para chorarmos, ri de nossas piadas e faz-nos rir por elas serem idiotas. 

Talvez por esse motivo, muitas pessoas acabam se apaixonando ou achando que está apaixonado pelo amigo, porque ele é que conforta, que dá conselho e daí passa a enxergá-lo com outros olhos. Mas não é bem assim... É preciso saber separar as coisas, até porquê você pode perder a amizade e, talvez, seja só momentâneo pelo fato de você estar apenas se confundindo.

Temos que parar de banalizar o amor




Eu já estou cansada das pessoas dizerem: "Eu amo meu tênis, eu amo meu computador, amo minha unha, meu celular, meu facebook, sou apaixonada pelo meu amigo! Droga! Parem de banalizar o amor! Ele é muito mais intenso que isso. O amor do qual eu me refiro vem de dentro. Não tem explicações. Você não pode amar um CD, por exemplo. 

Qualquer coisa que acha legal, diz que ama. Quem diz que ama um relógio, desculpe a sinceridade, não sabe o que é amar de verdade, tampouco sabe o que é amor. Não saia por ai dizendo "eu te amo" para qualquer um ou qualquer coisa. Não que não possa se apaixonar por um amigo, mas daí, logo na primeira vez dizer que está apaixonada e dizer "te amo" sem ter certeza do que sente?!!! Isso para mim é desvalorizar o sentimento mais forte e belo que existe nesse mundo.

Diga sim "eu te amo", mas por favor diga "eu te amo" para quem você ama de verdade. 

Não desperdice suas palavras com mentiras. Se você acha que ama alguém e quer dizer isso para a pessoa, fale somente que está gostando e não aja precocemente.

Futuramente para quem você disse que amava, você irá dizer: " Eu achava que te amava, mas não era amor". Então para de falar, droga!

Só diga que ama alguém quando viver intensamente o amor. Quando você tiver a capacidade de amar. Não a banalize.

terça-feira, 16 de abril de 2013

As Impressões de um Frânces

Texto tirado do próprio blog do Francês:



De uma forma divertida e bem humorada Olivier lista 65 pontos que lhe chamaram a atenção desde quando mora no Brasil.
Rapidamente as palavras circularam a internet. E já foram vistas por mais de 15 mil pessoas .
Confira os pontos listados por Olivier, em seu Blog:

-Aqui são umas das minhas observações, as vezes um pouco exageradas, sobre o Brasil. Nada serio.

-Aqui no Brasil, tudo se organiza em fila: fila para pagar, fila para pedir, fila para entrar, fila para sair e fila para esperar a próxima fila. E duas pessoas ja bastam para constituir uma fila.

-Aqui no Brasil, o ano começa “depois do Carnaval”.

-Aqui no Brasil, não se pode tocar a comida com as mãos. No MacDonalds, hamburger se come dentro de um guardanapo. Toda mesa de bar, restaurante ou lanchonete tem um distribuidor de guardanapos e de palitos. Mas esses guardanapos são quase de plastico, nada de suave ou agradável. O objetivo não é de limpar suas mãos ou sua boca mas é de pegar a comida com as mãos sem deixar papel nem na comida nem nas mãos.

-Aqui no Brasil todo é gay (ou ‘viado’). Beber chá: e gay. Pedir um coca zero: é gay. Jogar vólei: é gay. Beber vinho: é gay. Não gostar de futebol: é gay. Ser francês: é gay, ser gaúcho: gay, ser mineiro: gay. Prestar atenção em como se vestir: é gay. Não falar que algo e gay : também é gay.

-Aqui no Brasil, os homens não sabem fazer nada das tarefas do dia a dia: não sabem faxinar, nem usar uma maquina de lavar. Não sabem cozinhar, nem a nível de sobrevivência: fazer arroz ou massa. Não podem concertar um botão de camisa. Também não sabem coisas que estão consideradas fora como extremamente masculinas como trocar uma roda de carro. Fui realmente criado em outro mundo…

-Aqui no Brasil, sinais exterior de riqueza são muito comuns: carros importados, restaurantes caríssimos em bairros chiques, clubes seletivos cujos cotas atingem valores estratosféricas.

-Aqui no Brasil, os casais sentam um do lado do outro nos bares e restaurantes como se eles estivessem dentro de um carro.

-Aqui no Brasil, os homens se vestem mal em geral ou seja não ligam. Sapatos para correr se usam no dia a dia, sair de short, chinelos e camiseta qualquer e comum. Comum também é sair de roupas de esportes mas sem a intenção de praticar esporte. Se vestir bem também é meio gay.

-Aqui no Brasil, o cliente não pede cerveja pro garção, o garção traz a cerveja de qualquer jeito.

-Aqui no Brasil, todo mundo torce para um time, de perto ou de longe.

-Aqui no Brasil, sempre tem um padre falando na televisão ou na radio.

-Aqui no Brasil, a vida vai devagar. E normal estar preso no transito o dia todo. Mas não durma no semáforo não. Ai tem que ser rápido e sair ate antes do semáforo passar no verde. Não depende se tiver muitas pessoas atrás, nem se estiverem atrasados. Também é normal ficar 10 minutos na fila do supermercado embora que tenha só uma pessoa na sua frente. Ai demora para passar os artigos, e muitas vezes a pessoa da caixa tem que digitar os códigos de barra na mão ou pedir ajuda para outro funcionário para achar o preço de um artigo. Mas, na hora de retirar o cartão de credito, ai tem que ser rápido. Não é brincadeira, se não retirar o cartão na hora, a mesma moça da caixa que tomou 10 minutos para 10 artigos vai falar agressivamente para você agilizar: “pode retirar o cartão!”.

-Aqui no Brasil, os chineses são japoneses.

-Aqui no Brasil, a música faz parte da vida. Qualquer lugar tem musica ao vivo. Muitos brasileiros sabem tocar violão embora que não consideram que toquem se perguntar pra eles. Tem músicos talentosos, mas não tantos tocam as musicas deles. Bares estão cheios de bandas de cover.

-Aqui no Brasil, a política não funciona só na dimensão esquerda – direita. Brasil é um pais de esquerda em vários aspectos e de direita em outros. Por exemplo, se pode perder seu emprego de um dia pra outro quase sem aviso. Tem uma diferencia enorme entre os pobres e os ricos. Ganhar vinte vezes o salario minimo é bastante comum, e ganhar o salario minimo ainda mais. As crianças de classe media ou alta estudam quase todos em escolas particulares, as igrejas tem um impacto muito importante sobre decisões politicas. E de outro lado, existe um sistema de saúde publico, o estado tem muitas empresas, tem muitos funcionários públicos, tem bastante ajuda para erradicar a pobreza em regiões menos desenvolvidas do país. O mesmo governo é uma mistura de política conservadora, liberal e socialista.

-Aqui no Brasil, e comum de conhecer alguem, bater um papo, falar “a gente se vê, vamos combinar, ta?”, e nem trocar telefone.

-Aqui no Brasil, a palavra “aparecer” em geral significa, “não aparecer”. Exemplo: “Vou aparecer mais tarde” significa na pratica “não vou não”.

-Aqui no Brasil, o clima é muito bom. Tem bastante sol, não esta frio, todas as condicões estão reunidas para poder curtir atividades fora. Porem, os domingos, se quiser encontrar uma alma viva no meio da tarde, tem que ir pro shopping. As ruas estão as moscas, mas os shopping estão lotados. Shopping é a coisa mais sem graça do Brasil.

-Aqui no Brasil, novela é mais importante do que cinema. Mas o cinema nacional é bom.

-Aqui no Brasil, não falta espaço. Falam que o pais tem dimensões continentais. E é verdade, daria para caber a humanidade inteira no Brasil. Mas então se tiver tanto espaço, por que é que as garagens dos prédios são tão estreitos? Porque existe até o conceito de vaga presa?

-Aqui no Brasil, comida salgada é muito salgada e comida dolce é muito doce. Ate comida é muita comida.

-Aqui no Brasil, se produz o melhor café do mundo e em grandes quantidades. Uma pena que em geral se prepare muito mal e cheio de açúcar.

-Aqui no Brasil, praias bonitas não faltam. Porem, a maioria dos brasileiros viajam todos para as mesmas praias, Búzios, Porto de Galinhas, Jericoacoara, etc.

-Aqui no Brasil, futebol é quase religião e cada time uma capela.

-Aqui no Brasil, as pessoas acham que dirigir mal, ter transito, obras com atraso, corrupção, burocracia, falta de educação, são conceitos especificamente brasileiros. Mas nunca fui num pais onde as pessoas dirigem bem, onde nunca tem transito, onde as obras terminam na data prevista, onde corrupção é só uma teoria, onde não tem papelada para tudo e onde tudo mundo é bem educado!

-Aqui no Brasil, esporte é ou academia ou futebol. Uma pena que só o futebol seja olímpico.

-Aqui no Brasil, existe três padrões de tomadas. Vai entender porque…

-Aqui no Brasil, não se assuste se estiver convidado para uma festa de aniversário de dois anos de uma criança. Vai ter mais adultos do que crianças, e mais cerveja do que suco de laranja. Também não se assuste se parece mais com a coroação de um imperador romano do que como o aniversário de dois anos. E ‘normal’.

-Aqui no Brasil, nõ tem o conceito de refeição com entrada, prato principal, queijo, e sobremesa separados. Em geral se faz um prato com tudo: verdura, carne, queijo, arroz e feijão. Dai sempre acaba comer uma mistura de todo.

-Aqui no Brasil, o Deus esta muito presente… pelo menos na linguagem: ‘vai com o Deus’, ‘se Deus quiser’, ‘Deus me livre’, ‘ai meu Deus’, ‘graças a Deus’, ‘pelo amor de Deus’. Ainda bem que ele é Brasileiro.

-Aqui no Brasil, cada vez que ouço a palavra ‘Blitz’, tenho a impressão que a Alemanha vai invadir de novo. Reminiscência da consciência coletiva francesa…

-Aqui no Brasil, pais com muita ascendência italiana, tem uma lei que se chama ‘lei do silencio’. Que mau gosto! Parece que esqueceram que la na Itália, a lei do silencio (também chamada de “omerta”) se refere a uma pratica da mafia que se vinga das pessoas que denunciam suas atividades criminais.

-Aqui no Brasil, se acha tudo tipo de nomes, e muitos nomes americanos abrasileirados: Gilson, Rickson, Denilson, Maicon, etc.

-Aqui no Brasil, quando comprar tem que negociar.

-Aqui no Brasil, os homens se abraçam muito. Mas não é só um abraço: se abraça, se toca os ombros, a barriga ou as costas. Mas nunca se beija. Isso também é gay.

-Aqui no Brasil, o polegar erguido é sinal pra tudo : “Ta bom?”, “obrigado”, “desculpa”.

-Aqui no Brasil, quando um filme passa na televisão, não passa uma vez só. Se perder pode ficar tranquilo que vai passar mais umas dez outras vezes nos próximos dias. Assim já vi “Hitch” umas quatro vezes sem querer assistir nenhuma.

-Aqui no Brasil, tem um jeito estranho de falar coisas muito comuns. Por exemplo, quando encontrar uma pessoa, pode falar “bom dia”, mas também se fala “e ai?”. E ai o que? Parece uma frase abortada. Uma resposta correta e comum a “obrigado” e “imagina”. Imagina o que? Talvez eu quem falte de imaginação.

-Aqui no Brasil, todo mundo gosta de pipoca e de cachorro quente. Não entendo.

-Aqui no Brasil, quando você tem algo pra falar, é bom avisar que vai falar antes de falar. Assim, se ouvi muito: “vou te falar uma coisa”, “deixa te falar uma coisa”, “é o seguinte”, e até o meu preferido: “olha só pra você ver”. Obrigado por me avisar, já tinha esquecido para que tinha olhos.

-Aqui no Brasil, as lojas, o negócios e os lugares sempre acham um jeito de se vender como o melhor. Já comi em em vários ‘melhor bufe da cidade’ na mesma cidade. Outro superativo de cara de pau é ‘o maior da -América latina’. Não costa nada e ninguém vai ir conferir.

-Aqui no Brasil, tem uma relação ambígua e assimétrica com a América latina. A cultura do resto da América latina não entra no Brasil, mas a cultura brasileira se exporta la. Poucos são os brasileiros que conhecem artistas argentinos ou colombianos, poucos são os brasileiros que vão de ferias na América latina (a não ser Buenos Aires ou o Machu Pichu), mas eles em geral visitaram mais países europeus do que eu. O Brasil as vezes parece uma ilha gigante na América latina, embora que tenha uma fronteira com quase todos os outros países do continente.

-Aqui no Brasil, relacionamentos são codificados e cada etapa tem um rótulo: peguete, ficante, namorada, noiva, esposa, (ex-mulher…). Amor com rótulos.

-Aqui no Brasil, a comida é: arroz, feijão e mais alguma coisa.

-Aqui no Brasil, o povo é muito receptivo. E natural acolher alguem novo no seu grupo de amigos. Isso faz a maior diferencia do mundo. Obrigado brasileiros.

-Aqui no Brasil, o brasileiros acreditam pouco no Brasil. As coisas não podem funcionar totalmente ou dar certo, porque aqui, é assim, é Brasil. Tem um sentimento geral de inferioridade que é gritante. Principalmente a respeito dos Estados Unidos. To esperando o dia quando o Brasil vai abrir seus olhos.

-Aqui no Brasil, de vez em quando no vocabulário aparece uma palavra francesa. Por exemplo ‘petit gâteau’. Mas para ser entendido, tem que falar essas palavras com o sotaque local. Faz sentido mas não deixa de ser esquisito.

-Aqui no Brasil, tem um organismo chamado o DETRAN. Nem quero falar disso não, não saberia por onde começar…

-Aqui no Brasil, dentro dos carros, sempre tem uma sacola de tecido no alavanca de mudança pra colocar o lixo.

-Aqui no Brasil, os brasileiros se escovam os dentes no escritório depois do almoço.

-Aqui no Brasil, se limpa o chão com esse tipo de álcool que parece uma geleia.

-Aqui no Brasil, a versão digital de ‘fazer fila’ e ‘digitar codigos’. No banco, pra tirar dinheiro tem dois códigos. No supermercado, o leitor de código de barra estando funcionando mal tem que digitar os códigos dos produtos. Mas os melhores são os boletos pra pagar na internet: uns 50 dígitos. Sempre tem que errar um pelo menos. Demora.

-Aqui no Brasil, o sistema sempre ta “fora do ar”. Qualquer sistema, principalmente os terminais de pagamento de cartão de credito.

-Aqui no Brasil, tem um lugar chamado cartório. Grande invenção para ser roubado direito e perder seu tempo durante horas para tarefas como certificar uma copia (que o funcionário nem vai olhar), o conferir que sua firma é sua firma.

-Aqui no Brasil, parece que a profissão onde as pessoas são mais felizes é coletor de lixo. Eles estão sempre empolgados, correndo atrás do caminhão como se fosse um trilho do carnaval. Eles também são atletas. Tens a energia de correr, jogar as sacolas, gritar, e ainda falar com as mulheres passando na rua.

-Aqui no Brasil, pode pedir a metade da pizza de um sabor e a metade de outro. Ideia simples e genial.

-Aqui no Brasil, no tem agua quente nas casas. Dai tem aquele sistema muito esperto que é o chuveiro que aquece a agua. Só tem um porem. Ou tem agua quente ou tem um débito bom. Tem que escolher porque não da para ter os dois.

-Aqui no Brasil, as pessoas saem da casa dos pais quando casam. Assim tem bastante pessoas de 30 anos ou mais morando com os pais.

-Aqui no Brasil, tem três palavras para mandioca: mandioca, aipim e macaxeira. La na franca nem existe mandioca.

-Aqui no Brasil, tem o numero de telefone tem um DDD e também um numero de operadora. Uma complicação a mais que pode virar a maior confusão.

-Aqui no Brasil, quando encontrar com uma pessoa, se fala: “Beleza?” e a resposta pode ser “Jóia”. Traduzindo numa outra língua, parece que faz pouco sentido, ou parece um dialogo entre o Dalai-Lama e um discípulo dele. Por exemplo em inglês: “The beauty? – The joy”. Como se fosse um duelo filosófico de conceitos abstratos.

-Aqui no Brasil, a torneira sempre pinga.

-Aqui no Brasil, no taxi, nunca se paga o que esta escrito. Ou se aproxima pra cima ou pra baixo.

-Aqui no Brasil, marcar um encontro as 20:00 significa as 21:00 ou depois. Principalmente se tiver muitas pessoas envolvidas.

-Aqui em Belo Horizonte, e a menor cidade grande do mundo. 5 milhões de habitantes, mas todo mundo conhece todo mundo. Por isso que se fala que BH é um ovo. Eu diria que é um ovo frito. Assim fica mais mineiro.
Sensacional, coisas simples que a gente nem nota.



Me desculpem pelo texto longo, e por não ter sido que eu escrevi, mas é que realmente estou cada vez mais sem tempo. O importante é que eu gosto sempre de mostrar que o Brasil não é esse lixo que você que é fanboy de paginas do facebook e de vloggers acha que é. Tente observar algo positivo, e ira se sair muito bem. 


Abraços.