quarta-feira, 27 de abril de 2016

Urinar e defecar em cima da foto de um político, isso pode?




Aconteceu uma cena bizarra essa semana. Uma feminista urinou e defecou em cima da foto do político Jair Bolsonaro.

Se você ainda não viu, dê o play no vídeo antes que o You Tube tire do ar. 




Não vou comentar nada, vou somente deixar o registro, pois essa semana está muito apertada pra mim devido as muitas provas escolares que tenho para corrigir. Por isso também não conseguiria desenvolver uma boa opinião sobre o assunto. Mas saibam que estou atento a tudo, mas só estou sem tempo mesmo para postar. 

Apesar da minha falta de tempo não significa que você não possa deixar sua opinião sobre o assunto. Deixe nos comentários o que você achou da atitude, se concorda, discorda ou se simplesmente não acha nada e só quer ver o circo pegar fogo. Lembrando também que todas as opiniões são bem vindas. Quem sabe não seja somente uma forma pacifica de manifestação artística, não é mesmo? 


sábado, 23 de abril de 2016

As Tochas Olímpicas dos jogos de verão

No começo da semana foi realizada uma cerimônia na Grécia que marcou o acendimento da chama olímpica.

Fizemos uma postagem apresentando também o percurso no qual a Tocha Olímpica percorrerá até chegar no Rio de Janeiro para a abertura dos jogos de verão. 

Por falar em tocha, acompanhe agora a evolução deste símbolo olímpico no passar dos anos e por fim conheça como será o modelo da edição de 2016. 

Berlim 1936 



Foi nessas Olimpíadas que pela primeira vez houve um revezamento de tocha. Inspirada nas ideais de Carl Diem, secretário-geral do Comitê Organizador, a tocha foi executada em aço inox pela Krupp, gigante alemã de armamentos, que presenteou cada um dos 3.075 condutores com um exemplar. Traz a rota do revezamento inscrita no corpo e, no topo, os dizeres ‘Als Danke dem Träger’ (do alemão ‘como agradecimento ao condutor’).

Londres 1948 




Ralph Lavers, especialista em arquitetura clássica e arqueologia, criou a tocha por 75 libras esterlinas. Londres, afinal, tinha mais seis anos de racionamento de alimentos e de energia pela frente quando hospedou os Jogos. Austeridade ainda era a palavra da vez quatro anos após o término da II Guerra Mundial.


Helsinki 1952 



Apenas 22 tochas foram fabricadas na época, o que a torna a mais exclusiva de todas. Seu corpo era feito em madeira de bétula laqueada, um dos símbolos nacionais do país. Acopladas ao corpo estavam vasilhas com combustível de longa duração, que eram trocadas a cada 20 minutos.


Melbourne 1956 



Por causa das leis de quarentena australianas, os Jogos de foram realizados em duas cidades: Melbourne e Estocolmo. Foi a única vez na história que duas chamas partiram de Olímpia. As tochas eram praticamente iguais, ambas modeladas a partir da tocha de Londres, criada por Ralph Lavers.

Roma 1960 



Foi o arquelógo Amedeo Maiuri, famoso por investigar Pompeia, cidade romana soterrada após a erupção do Vesúvio no ano 79 d.C, quem desenhou a tocha dos Jogos de Roma. Inspirada nos monumentos clássicos e com apenas 40 centímetros de altura, é a segunda menor de todas as tochas.


Tóquio 1964 



A sóbria tocha de Tóquio simbolizou a entrada e a aceitação do país em um universo mais pacífico e humano. Além de ter sobrevivido à explosão de duas bombas atômicas, o Japão fora excluído do evento em 1948, por ter perdido a guerra ao lado da Alemanha e da Itália.

Cidade do México 1968



Foram criados diferentes modelos de tocha para os Jogos de 1968. O modelo usado no revezamento trazia o logo do evento esculpido em metal.

Munique 1972 



A tocha alemã foi fabricada pela gigante de armamentos Krupp, a mesma empresa que confeccionara o objeto em 1936. Executada em aço inoxidável, foi a segunda tocha mais pesada da história dos Jogos.

Montreal 1976 




Executada em alumínio, a tocha de Montreal usava azeite de oliva como combustível. Para solucionar o alto custo do revezamento, a chama foi transmitida via satélite da Grécia para o Canadá e o revezamento durou apenas quatro dias. Foi o mais curto da história.

Moscou 1980 



A URSS foi o primeiro país comunista a sediar os Jogos. O entusiasmo com a chama era tamanho, que o Comitê Organizador recebeu mais de 1,5 milhão de pedidos de atletas para participar do revezamento no país.

Los Angeles 1984 



Apesar do mote olímpico ‘Citius Altius Fortius’ (do latim: mais rápido, mais alto e mais forte), inscrito no topo da tocha, a chama dos Jogos de 1984 rompeu a tradição iniciada em 1936 e não foi conduzida pela Grécia. O Comitê Grego discordara da iniciativa do Comitê de Los Angeles de vender 10 mil cotas do revezamento a de US$ 3 mil cada.


Seul 1988 



Símbolo da harmonia entre o leste e oeste do país, a tocha de Seul tem dois dragões tradicionais inscritos no topo. A chama percorreu a Coreia do Sul em Zigue Zague durante 21 dias.

Barcelona 1992 



A tocha assimétrica de Barcelona foi criada pelo designer catalão André Ricard. Com 1.200 gramas, está entre as três mais pesadas já fabricadas. A parte circular superior reproduz a pira olímpica, destino final da chama.

Atlanta 1996 



A tocha criada por Peter Mastrogiannis é a mais alta e a mais pesada de toda a coleção. Inspirada nas linhas da arquitetura clássica grega, a tocha do centenário dos Jogos Modernos traz os nomes de todas as cidades sedes das edições de verão inscritos no cabo de madeira.


Sydney 2000 



Inspirada no formato da Opera House de Sidney, a tocha tem três camadas que representam os elementos terra, água e fogo. Foi conduzida por mais de 13 mil pessoas ao longo de 46 mil quilômetros entre a Grécia e outros 13 países e territórios da Oceania.

Atenas 2004



A tocha criada pelo designer grego Andreas Varotsos tem a simplicidade de folha uma oliveira, árvore sagrada e símbolo de Olímpia. Por meio das mãos de mais de 11 mil condutores, a chama percorreu mundo e passou por 27 países diferentes, entre eles o Brasil.

Pequim 2008 



O formato da tocha remete a um pergaminho decorado com um padrão chinês de nuvem, presente na arte chinesa tradicional. A chama percorreu 137 mil quilômetros nas mãos de quase 22 mil pessoas. Um recorde histórico.

Londres 2012 



A forma triangular da tocha refere-se a trios de valores associados aos Jogos, como ‘excelência, amizade e respeito’ ou o mote ‘citius, altius, fortius’. Era também a terceira vez que Londres hospedava os Jogos. Os 8 mil círculos perfurados no corpo da tocha representam os 8 mil condutores da chama no Reino Unido.

Rio de Janeiro 2016 



O modelo da primeira edição dos Jogos na América do Sul é feito com alumínio reciclado, pesa entre 1 kg e 1,5 kg e é dividido em três partes, representando os valores olímpicos de excelência, amizade e respeito. Com cores e curvas que representam as riquezas naturais do Brasil e do Rio, a tocha dos Jogos de 2016 inova por ter movimento e abrir 'como o desabrochar de uma flor'. Essa abertura acontece na passagem da chama olímpica de uma tocha para outra.



sexta-feira, 22 de abril de 2016

Mais um príncipe se foi

Confesso que não acompanhei a carreira deste cantor, mas tenho respeito por qualquer pessoa que tenha conquistado algum espaço, pois sabemos que é muito difícil fazer sucesso nessa profissão no qual as vezes só talento não basta.



O corpo do Prince foi encontrado na casa onde morava, no estado norte-americano de Minnesota, nesta quinta-feira (21). A causa da morte ainda não foi confirmada.

Prince foi um dos artistas mais influentes da música pop durante seus 40 anos de carreira. Cantor, compositor, multi-instumentista e ator, ele teve o talento reconhecido com sete prêmios e 30 indicações no Grammy, um Oscar, um Globo de Ouro e quatorze músicas no top 10 da “Billboard” nos EUA.

Prince tornou-se um fenômeno mundial nos anos 1980, fundamentalmente com "Purple Rain" (1984), frequentemente considerado um dos melhores álbuns de todos os tempos.

Por falar na música "Purple Rain', deixarei o clipe da mesma como forma de homenagem. 






quinta-feira, 21 de abril de 2016

Eis a chama olímpica



Na manhã desta quinta-feira (21), a chama dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 foi acesa na cidade de Olímpia, na Grécia. A cerimônia, com 29 sacerdotisas e 13 dançarinos, marcou o início do percurso da tocha olímpica. 

O ritual à moda antiga, que pretende estabelecer um vínculo de união entre as épocas, foi realizado pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936, e remete à simbologia olímpica da chama, que permanecia acesa durante toda a competição na antiguidade.

O primeiro atleta a portar a tocha foi o ginasta grego Lefheris Petrounias, que a passou ao brasileiro ex-jogador de vôlei e bicampeão olímpico (1992 e 2004) Giovane Gávio. A viagem do símbolo das Olimpíadas durará quatro meses, percorrendo toda a Grécia e 300 cidade brasileiras. Durante uma semana, a tocha percorrerá a Grécia, antes de ser transportada ao Brasil no dia 27 de abril. A partir de 3 de maio, começa o revezamento da tocha por todo o País, passando por 83 cidades. Serão cerca de 12 mil pessoas no revezamento, cada uma cobrindo um trecho de 200 metros.No dia 5 de agosto, o fogo olímpico chega ao Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, para a cerimônia de abertura dos Jogos de 2016.




terça-feira, 19 de abril de 2016

Filme do Pokémon?

Já que a moda nos cinemas é adaptar gibi, livros, jogos e séries de tv e fazer aquela franquia, por que não tentar fazer um filme live-action do Pokémon? 



Os fãs já podem começar a se empolgar, pois já está rolando uma disputa entre Sony, Warner e a Legendary para ter os direitos da animação e quem sabe, fazer dinheiro. 

Segundo fontes, a Lengedary largou na frente e está liderando a fila de preferência da The Pokémon Company, empresa na qual a Nintendo é sócia e que cuida de todo o LEGADO de Pikachu e seus pequenos comparsas.

Mas a Warner não quer de maneira nenhuma perder essa disputa e já conseguiu bons argumentos para quem sabe conseguir ficar com os direitos. Para quem não lembra, a empresa foi foi a responsável pelo lançamento do longa animado de 1998, aquele do Mewtwo e ainda duas sequências, uma em 1999 e outra em 2000. 

A franquia Pokémon completou 20 décadas de vida no último mês de fevereiro, e a Nintendo revelou que, até o momento, mais de 200 milhões de cópias dos jogos da série tinham sido vendidas em todo o mundo. O número, bastante expressivo, indica que os japoneses sabem bem o poder do que têm em mãos – e, justamente por isso, eles sempre tiveram o interesse de usar sua propriedade intelectual mais agressivamente no mundo do cinema,

Não importa quem ganhará a disputa, pois já sabemos que quem venceu realmente foram os fãs.



sábado, 16 de abril de 2016

É golpe ou não?



Não queria mais falar de política aqui neste blog, mas devido a situação que o Brasil se encontra, reforçado pelo o que está prestes a acontecer amanhã, senti essa necessidade. 

Quero primeiramente deixar claro que não sou defensor de nenhum partido ou ideologia política e que não represento nem o lado a favor nem o contra do impeachment. Estou apenas relatando uma notícia que foi destaque na mídia. Sou somente a favor do que for melhor para o país. Apesar que nesse momento não sei bem o que é o melhor. 

O jornal americano "The New York Times" fez uma matéria interessante no último dia 15 destacando que o processo de impeachment da Dilma está sendo liderado por políticos que enfrentam algum tipo de acusação. 

Isso me fez pensar sobre valores. Realmente parece legítimo o processo, mas será que a Presidente é realmente este "monstro" que a mídia brasileira comandada pela Rede Globo fez ela se tornar ?

Que moral tem uma pessoa acusada de corrupção para julgar qualquer tipo coisa ? 

Em outro ponto, esse mesmo jornal diz que Dilma faz parte de uma categoria rara de políticos brasileiros, pois ela não é acusada de ter roubado para si própria, ao contrário daqueles que a acusam.

Talvez esse processo de impeachment seja uma ação nacional sobre a hipocrisia entre líderes brasileiros.

No fim das contas, legítimo ou não, há um caráter surreal nesse processo de impeachment que ocorre aqui no nosso país.

Não sou eu que falei, mas sim um jornal que é isento das buscas de interesses que é nítido haver nos veículos de notícias brasileiros: "Um processo conduzido por parlamentares corruptos, dominado por abusos aos direitos humanos, contra uma presidente que não é alvo de investigação alguma."

Enquanto no Brasil a mídia familiar apoia o impeachment, o maior jornal do mundo denuncia um golpe absurdo. 

Para ver a notícia original na íntegra clique aqui 


quarta-feira, 13 de abril de 2016

A propulsão de energia direcionada e as viagens espaciais



A Nasa, agência espacial americana, estuda uma técnica de lançamento de espaçonaves que pode reduzir o tempo das viagens espaciais. Por exemplo, uma viagem para Marte, que atualmente é de seis a oito meses, poderia ser realizada em apenas 30 minutos.

Chamada de propulsão de energia direcionada, essa técnica consiste em disparar um laser de alta potência - entre 50 e 100 gigawatts - em uma espaçonave e, com isso, acelerá-la a uma fração significativa da velocidade da luz, cerca de 30%.

O plano da Nasa é usar essa técnica para explorar exoplanetas que podem abrigar vida e que estejam em um raio de 25 anos-luz.

Ou seja, seria possível visitar a Alpha Centauri, que é a terceira estrela mais brilhante no céu vista a olho nu e está a pouco mais de quatro anos-luz de distância do Sol.

Atualmente, uma sonda como a Voyager, que atravessa o sistema solar, viaja a 1,4 milhões de quilômetros por hora, o que já é muita coisa. E para chegar em Alpha Centauri levaria 70 mil anos e isso não seria viável, porém a propulsão de energia reduziria a viagem para 15 anos. 

Para conseguir levar algo até lá, a Nasa precisaria construir um laser de pelo menos 100GW. Para chegar a essa potência, seria preciso arranjar lasers ao longo de um quilômetro e meio. Essa tecnologia já existe e está longe de ser coisa de ficção científica. 

Apesar da Nasa ainda não ter projetos em andamento para utilizar esse tipo de propulsão na exploração espacial, existem algumas propostas que pode finalmente fazer nós humanos diminuir nossa distância ainda mais em relação ao universo. 




quinta-feira, 7 de abril de 2016

Armas de ficção científica que poderiam ser criadas no futuro

Quando se fala em filmes, o gênero relacionado a ficção científica, fascina e intriga muita gente, pois sempre está cheio de histórias repletas de tecnologia e ficamos a imaginar se aquilo apresentado um dia possa se tornar realidade. 

Uns acham tudo aquilo inspirador, porém outros ficam completamente aterrorizados, logo que começam a imaginar as consequências de tal uso indevido principalmente quando se refere a armas. 

No mundo tecnológico de hoje várias dessas armas,  podem ser recriadas e transformar nossa realidade em algo realmente assustador.

Confira agora dez armas de ficção científica que poderia teoricamente existir com facilidade no mundo em que vivemos. 

Sabres de Luz 




No mundo de Star Wars, os sabres de luz são as armas que mais impressionam e pra quem assistiu o filme, sabe do seu poder. Como era de se esperar, em 2013 cientistas de Harvard conseguiram manipular os fótons e criaram sua própria arma. Não é difícil de imaginar que alguém, em algum dia, possa fazer outro protótipo com intenções de transformar nossa realidade em algo parecido com o mundo de Star Wars. 

Ciborgues




Um ciborgue parecido com o do universo do filme Robocop pode se tornar muito real em breve. Cientistas americanos já construíram exoesqueletos biônicos que são capazes de ajudar pessoas com paralisia. Com a velocidade que a tecnologia se desenvolve, logo será bem comum ver homens metade máquina por aí. 

Reator de Fusão 




O reator de fusão que você vê no Universo Marvel é algo realmente muito possível. O reator requer temperaturas de até 100 milhões de graus Celsius, a fim de funcionar corretamente. Se algo der errado, porém... 

Aparelho de Teletransporte 




O aparelho de teletransporte que aparece em Star Trek foi pensado para ser de pura ficção científica, mas pode se tornar algo muito real. Cientistas da Universidade de Maryland e Michigan respectivamente estão trabalhando para torná-lo uma possibilidade. 

Máquina do Tempo 




Os cientistas gostariam de tornar a viagem no tempo possível se baseando na teoria de Einstein. Apesar de ser uma das tecnologias mais difíceis listada aqui, é algo que muitos acreditam que possa um dia ser real.   

Pulso Eletromagnético




O pulso eletromagnético que aparece em Matrix e derruba as Machines, na verdade é uma parte muito real da tecnologia de hoje. A PEM moderada é capaz de destruir dispositivos eletrônicos que estão nas proximidades.

Raio Neuralizador 




O Raio Neuralizador é aquele que aparece no filme MIB - Homens de Preto que retira a memória da pessoa. Em Nova Iorque pesquisadores já criaram uma droga experimental similar a tecnologia que permite que a memória seja bloqueada ou removida totalmente. 

Raygun




O Raygun é visto em Flash Gordon e é capaz de projetar feixes de partículas mortal de poder. Uma tentativa na vida real foi feita por Nikola Tesla que inventou um raio da morte que poderia ser projetado em linha reta com uma capacidade de alcance de até 200 milhas. 

Máquina do Juízo Final 




Em 1984, a União Soviética tentou construir sua própria máquina conhecida como "Perímetro". Este foi um elaborado sistema de gatilhos capazes de disparar vários mísseis contra os EUA de toda a União Soviética.


Vírus Extremos 



O vírus Extremis, visto no Universo Marvel, é uma peça assustadora de tecnologia, mas poderia ser uma realidade no mundo real. Pesquisadores da NYU Langone Medical Center testaram em ratos um estirpe de um vírus muito semelhante.



quarta-feira, 6 de abril de 2016

Métodos curiosos para se evitar cola durante as provas

Começou a semana de prova lá na escola no qual dou aula. Nada de muita pressão, pois se trata somente das avaliações bimestrais. 

Quando se trata de Ensino Fundamental I não há tanta coisa em jogo comparado a semana de prova das faculdades, pois a exigência é menor e se trata somente de algo para seguir um protocolo, logo que as avaliações são constantes e feitas no dia-a-dia de aula acompanhando o desenvolvimento do aluno.  

Por outro lado, quando se é mais velho, ir bem nesses testes pode significar um caminho livre para o andamento do ano letivo, por isso muitos ficam estressados e nervosos, tentando manter uma concentração muito grande para evitar o fracasso. 

Devido ao grau de exigência, alguns alunos que se dizem espertinhos apelam para o artificio da "cola" e por incrível que possa parecer, mesmo em uma turma composta apenas por crianças, sempre tem aquele que quer dar um jeitinho de se beneficiar. 

Para tentar evitar o ato, alguns professores adotam artimanhas para dificultar ao máximo aquela espiadinha na atividade do colega ao lado. Confira agora uma lista com 10 formas curiosas utilizadas por professores para impedir a "cola". 

Chapéu de papel 



Uma ideia criativa que no máximo gastará umas folhas em branco sem necessidade. Aqui no Brasil essa ideia não funcionaria, pois os alunos iriam se recusar e ainda alegariam que não são nenhum tipo de animal para usar cabresto. 

Pasta para tapar o olhar 



Essa sim é muito boa e nos faz lembrar de uma cabine de votação. 

Tirar a roupa dos estudantes



Obviamente esse técnica não serve para sala de aula, mas parece que foi muito eficaz para esses soldados. 

Detectores de metal 



Na era da tecnologia, todo o cuidado é pouco. Isso evita o uso de celulares e aparelhos eletrônicos, mas não o uso do bom e velho papelzinho no tênis ou escrita na palma da mão. 

Sentar em cima da porta 



Essa técnica facilita uma melhor visualização de toda a sala e inibe os espertinhos. 

Drones 



Com um drone sobrevoando a sala com uma câmera embutida, ninguém vai querer correr o risco de ser pego colando. 

Câmera de vigilância 




Essa ideia segue a mesma linha da anterior. Basta ter uma central de monitoramento. 

Caixa na cabeça dos alunos 



Deve incomodar muito fazer uma atividade com isso na cabeça. Essa eu descarto. 

Alunos ao ar livre 



Para esse é necessário ter uma extensa área livre e os alunos devem ser posicionados a dois metros de distância do colega que senta atrás e ao lado. Muito eficiente. 

Recolher os celulares 



Muitas escolas já praticam essa, pois o uso de celulares em ambiente de sala de aula é proibido. 


terça-feira, 5 de abril de 2016

A nova moda das unhas peludas



Tentando atingir diversificadamente a moda, o diretor de estilo e co-fundador dos esmaltes CND Jan Arnold, lançou uma tendência: Unhas peludas. Por mais louco que possa parecer, essa nova moda tem sido levado muito a sério e pretende bombar nesse inverno. Se a moda realmente vingar, prepare-se para ver muitas mulheres desfilando com essas unhas por ai. 

Alguns salões em São Paulo já treinaram suas manicures para atender aos clientes interessados na novidade. 

Para a execução, podem ser usados pelos de cachorro, gato, coelho, crina de cavalo e até mesmo cabelo humano! 

Colocar os pelos nas unhas não tem maiores segredos: basta passar o esmalte na cor que desejar e, antes que ele seque, jogar os fios por cima. O cuidado é apenas para que eles fiquem bem distribuídos!  

Com um pouco de criatividade, pode-se obter resultados interessantes. 






Deixem nos comentários o que vocês acham dessa nova ideia e se usariam ou não. Por hoje é isso. Abraços.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

O esporte brasileiro e a Lei Pelé



No dia 24 de Março de 1998. o então presidente Fernando Henrique Cardoso assinou a lei 9.615 com diretrizes para profissionalizar o esperte brasileiro e que ficou popularmente conhecida como Lei Pelé. 

A Lei, impôs medidas de extrema importância para a prática desportiva no país sendo os principais pontos:


  • Fim do Passe 
O Passe prendia o atleta ao clube mesmo após o fim do contrato.

  • Profissionalização
Tentou profissionalizar o esporte qualificando um atleta profissional aquele que tivesse contrato com o clube.

  • Formação de Atleta 
Instituiu que jovens atletas em formação pudessem assinar contratos com os clubes a partir de 14 anos.

  • Ligas 
Permitiu a criação de ligas ao vedar "qualquer intervenção das entidades de administração do desporto nas ligas que se mantivessem independentes".

  • Transparência 
Disciplinou a prestação de contas por parte dos clubes que são obrigados a publicar seus resultados financeiros do ano anterior até o fim de Abril. 

  • Tribunais Desportivos 
Determinou a independência dos Tribunais de Justiça Desportiva com órgãos sendo composto por indicações de árbitros, atletas, clubes e etc. 



Apesar da boa intenção, ainda assim, questões trabalhistas e tributárias em relação aos clubes e maior proteção às entidades formadoras de atletas são itens que causam discussões. 

Tido como principal item da Lei, o fim do passe abriu espaço para os empresários  entrarem no meio do futebol. Se de um lado os atletas saíram de um estado de semiescravidão causada pela lei antiga, por outro lado foi criado um paraíso para os empresários e prejudicando os clubes.

O fato é que alguns dos artigos ficaram ultrapassados para regulamentar o esporte como também tem como ideia unificar pontos que são abordados em outras leis, para que assim diminua os problemas que surgiram no futebol moderno. 

Apesar de ser voltada para o esporte brasileiro como um todo, a maioria das medidas serviram apenas para o esporte mais estruturado do país, o futebol. Consequentemente, prejudicou os atletas de outras modalidades cuja organização é bem diferente do esporte mais popular do Brasil. 

Concordando com a opinião de muitos por ai, ao meu ver, a Lei Pelé deve realmente ser revista, pois já que os jogadores começaram a ter segurança, os clubes precisam de algumas também, principalmente aquelas que são voltadas a formação dos atletas que hoje, antes mesmo da criança assinar seu primeiro contrato profissional, os empresários já lhe seduziram com outras ofertas.