quarta-feira, 29 de junho de 2016

O ouro olímpico no futebol, aliviaria a decepção da Copa do Mundo?



O técnico Rogério Micale anunciou nesta quarta-feira a lista com os 18 jogadores convocados da seleção brasileira para a disputa dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

A lista você pode ver abaixo.


Como muitos já sabem, a conquista do ouro olímpico nessa modalidade virou uma questão de honra para o Brasil. Já fazem muitos anos que o país almeja essa medalha e vê com bons olhos poder conquistá-la em nosso território. 

Poder disputar um torneio em nossos domínios nos tornariam favoritos em outras circunstâncias, porém a seleção vem passando por uma crise muito grande, consequência de um fiasco na última copa do mundo culminado também por um vergonhoso 7 a 1 em casa. Mas para quem diz que isso já é passado e que o futebol brasileiro tem melhorado, mero engano. A menos de um mês foi efetuado uma troca na comissão técnica da mesma e o ex treinador do Corinthians, Tite, assumiu o posto maior daquela função que para muitos é mais importante do que a do presidente. O time principal que vem disputando as eliminatórias para a copa de 2016 está longe de empolgar e sua campanha hoje, lhe deixaria fora do grupo de classificados. 

A disputa desses jogos poderia ser a chance de recuperarmos o espírito patriótico do nosso povo que anda bem desconfiado e aliviar um pouco aquele sentimento de inferioridade que já nos acompanha a bastante tempo. Por um tempo faria o povo esquecer a crise política e futebolística e voltar a nos orgulhar e poder ser chamado novamente de país do futebol. 

Mesmo sabendo que gerações melhores não conseguiram conquistar o tão desejado ouro, fica aqui a minha torcida para que Gabriel Barbosa, Gabriel Jesus e Neymar possam trazer este tão esperado ouro para o Brasil. 

Que os deuses do futebol abençõe esses meninos.  



sexta-feira, 24 de junho de 2016

Reino Unido fora da União Europeia. O que acontece agora?

O Reino Unido através de um plebiscito decidiu sair da União Europeia. Essa decisão histórica mudará completamente suas relações com o mundo. 



O Reino Unido é formado por quatro partes ou países: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte e sua capital é Londres. O Reino Unido tem seu território dividido em duas ilhas no oceano Atlântico, junto à costa noroeste da Europa continental. Na ilha da Grã-Bretanha ficam a Inglaterra, a Escócia e o País de Gales. A Inglaterra se estende ao longo de quase dois terços do sul da ilha. A Escócia cobre o norte, que corresponde a um terço. O País de Gales fica na região sudoeste da Grã-Bretanha.

Na ilha da Irlanda, que fica a oeste da Grã-Bretanha, ficam a Irlanda do Norte (no nordeste) e a República da Irlanda, que ocupa o resto da ilha e não faz parte do Reino Unido.

Bandeira da União Europeia

Já a União Europeia é uma união econômica e política de 28 Estados-membros independentes situados principalmente na Europa. A UE atua através de um sistema de instituições supranacionais independentes e de decisões intergovernamentais negociadas entre os Estados-membros. Instituiu um mercado comum através de um sistema padronizado de leis aplicáveis a todos os Estados-membros. 

Reino Unido fora da União Europeia 




O processo de saída não é automático. Ele deve ser negociado com outros membros do bloco. Essa negociação tem um prazo máximo de dois anos e cabe ser aceito de forma amigavelmente, algo que não é uma certeza.

Nenhum país até hoje deixou a União Europeia e fica uma pulga atrás da orelha para saber como será a relação e o acesso do país ao mercado comum. 

As negociações de saída ainda não tem data de início, mas prometem ser complexas, pois envolvem a rescisão de tratados internacionais e sobretudo de legislação interna britânica.

No meio de tantas incertezas, os líderes europeus temem que o resultado britânico, estimule outros países. 

Os impactos nas nações do Reino Unido 



O placar apertado indica uma imensa divisão entre os britânicos. Houve uma imensa disparidade na distribuição regional dos votos, onde a Escócia votou em peso pela permanência na UE. Em 2014, no plebiscito local, naquele momento a Escócia preferiu não desfazer a união, mas agora pode ser que haja uma nova consulta fazendo com que a Escócia saia do Reino Unido. A Escócia não quer ser tirado à força da União Europeia, então a causa separatista pode ressuscitar. 

Já na Irlanda do Norte, onde 56% votaram para continuar na UE, lideranças favoráveis a uma reunificação com a Irlanda ventilaram a possibilidade de um plebiscito sobre a independência.  

Vamos aguardar as cenas do próximo capítulo, mas é o mundo, em tempo real, sendo modificado geograficamente assim como já aconteceu num passado. Só que dessa vez sem a necessidade de guerras.  


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Bons aplicativos para tirar foto 360 graus no seu celular

Tirar fotos em 360 graus no celular é uma maneira de registrar o ambiente por completo de um jeito criativo. Com o recurso, é possível arrastar o dedo em cima da foto para que ela se mova, revelando mais detalhes da imagem.

Preparamos uma lista com seis aplicativos que tornam seu celular capaz de utilizar o recurso. Veja qual app você prefere para fazer imagens panorâmicas.

1. Câmera Cardboard




A primeira opção da lista é o Câmera Cardboard. Com o app gratuito para Android, o usuário pode, além de tirar fotos em 360º, habilitar a captura do áudio, deixando a experiência completa. 

Para fazer a imagem, é bastante simples: basta posicionar corretamente o celular e pressionar o botão de capturar, girando até finalizar a foto. O resultado final da montagem criada pelo Câmera Cardboard apresenta ótima qualidade.

2. Splash – 360 Video Camera




A ideia do Splash é funcionar como um Snapchat de fotos em 360 graus. Pelo app, é possível ver imagens de pessoas do mundo todo. O programa está disponível para iPhone e permite ao usuário tirar várias fotos em sequência. Depois disso, o aplicativo consegue unir todas as imagens em uma só. Por isso, é preciso ter um pouco de paciência – e persistência – para conseguir produzir uma boa imagem em 360 graus.

3. Nokia Panorama




O Nokia Panorama é um ótimo app para Windows Phone, permitindo a você registrar imagens panorâmicas. O aplicativo é simples, com uma interface agradável e bom funcionamento. A principal diferença em relação aos demais é que, em vez de pressionar o botão de capturar e girar até o final, o app pede para você girar e parar várias vezes. Apesar deste “problema”, os resultados são ótimos.

4. Panorama 360




Capturar fotos em 360 graus com o app Panorama 360 é bastante simples. Basta posicionar o smartphone e girar. O próprio aplicativo irá produzir a imagem automaticamente. Como ele funciona como uma rede social, também é possível interagir com outros usuários e ver as imagens capturadas ao redor do mundo. O ponto negativo é que, apesar do download ser gratuito, alguns recursos são pagos.

5.  Photo Sphere Camera




O Photo Sphere Camera trabalha em conjunto com o Google Maps. Com o Photo Sphere Camera, é possível capturar imagens em 360º e postá-las no Maps. Assim, você pode compartilhar com outras pessoas uma visão completa do local em que você está.

O app está disponível totalmente em português e tem uma interface bastante agradável. Por apresentar bons resultados e ser fácil de usar, o aplicativo do Google é uma boa opção para os usuários que querem realizar esse tipo de fotografia.

6. Photaf Panorama




O Photaf Panorama é mais uma boa opção para quem gosta de registrar imagens em 360 graus. O app é gratuito e está disponível apenas para celulares com Android. O serviço oferece opções de modo automático ou manual, permitindo o ajuste de luz e o uso do flash. Os pontos negativos do aplicativo são o excesso de anúncios e a versão apenas em inglês. Ainda assim, é importante ressaltar que o app funciona até mesmo nas versões mais antigas do Android, rodando de 3.2.7 ou superior.


Vi aqui 


segunda-feira, 20 de junho de 2016

Por que o feijão ficou tão caro?

Tradicionalmente conhecido em nossas refeições diárias, o feijão vem causando alvoroço nos lares e redes sociais devido ao aumento do seu preço que já é visível nas prateleiras de todos os supermercados.

De acordo com o Globo Rural, o alimento ficou mais caro devido à queda de produção, impactada pela seca causada pelos efeitos do El Niño. 

O preço do feijão é determinado pela quantidade do produto no mercado e no estoque do governo restam apenas cerca de 108 mil toneladas, o que é considerado baixo. O Estado mais afetado pelos efeitos climático é o Paraná que responde por 24% da colheita nas três safras de feijão e o Estado é o principal produtor. Como a safra foi ruim, isso se reflete no preço, pela baixa disponibilidade do produto. 

De acordo com uma pesquisa da Secretaria de Planejamento de Goiás, o feijão subiu mais de 36% desde o início do ano. A tendência é que o valor fique ainda maior nos próximos meses podendo o produto ser encontrado em algumas regiões pelo preço de R$15,00 o quilo. 

Mas não pense que foi somente o feijão que aumentou, outros produtos também tiveram seus ajustes, porém como se tratou de um aumento muito elevado, o mesmo ficou em destaque. 

A pesquisa da GFK apontou também altas expressivas no ano até maio de outros produtos básicos, como farinha de mandioca (34,5%), leite longa vida (19,3%), açúcar (18,2%), ovo (7,7%), óleo soja (7,6%) e até carne de segunda (3,12%).





Fonte


sexta-feira, 17 de junho de 2016

Descanse em paz Professor Lingui... Girafales


Morreu nesta sexta-feira, 17, aos 82 anos, o ator Rubén Aguirre, conhecido por ter interpretado o Professor Girafales no seriado "Chaves".  O ator morreu em Puerto Vallarta, no estado de Jalisco, no México por complicações de uma pneumonia.

Rubén nasceu no México e se formou engenheiro agrônomo antes de começar a carreira na televisão. No início, ele trabalhou como ator, locutor, diretor e gerente de produção sendo um dos executivos do Canal 8.

Seu primeiro trabalho com Roberto Gomez Bolaños, o Chaves, foi no final da década de 60 no programa “El Ciudadano Gómez”, o diretor do canal pediu que escolhesse entre as duas funções e Rubén optou pela carreira de ator. Em “Chaves”, ele ganhou destaque como o professor Girafales que sempre levava flores para Dona Florinda e tinha o bordão “Ta, ta, ta, ta, ta” quando se irritava.

Nós estamos apenas de passagem aqui na Terra, e nesse dia chegou a vez do Professor Girafales ir e fazer companhia ao Chaves, ao seu Madruga, a Dona Clotilde, ao carteiro Jaiminho e ao Godines. 



quarta-feira, 8 de junho de 2016

Seria o Chupa-Cabra apenas uma lenda?



O Chupa-Cabra é uma suposta criatura a qual se atribui uma série de ataques a animais na América.

Em meados da década de 1990, uma série de ataques sem explicações bem conhecidas a animais nas zonas rurais alarmou as pessoas no continente americano. O Brasil foi um dos países com mais relatos do caso e o assunto tomou conta dos noticiários durante alguns meses. Estranhamente, animais estavam sendo atacados em regiões muito diversas e distantes umas das outras. As mortes eram todas muito parecidas e, por isso, foram todas atribuídas pela cultura popular a um suposto animal conhecido como Chupa-Cabra, muito embora suas vítimas não fossem apenas cabras.

O primeiro relato que se tem notícia sobre a ação do suposto Chupa-Cabra teria ocorrido no mês de março de 1995 em Porto Rico. Nesta ocasião, oito cabras foram encontradas mortas pelo fazendeiro proprietário dos animais. Cada cabra tinha três perfurações no tórax e estavam completamente sem sangue. Foi por causa desse primeiro ataque, que vitimou apenas cabras, que se formulou o nome Chupa-Cabra para identificar o que seria responsável pela morte dos animais. Os ataques continuaram em Porto Rico, mas nada foi realmente registrado ou mesmo explicado com precisão sobre a morte dos animais. Para tornar a situação mais confusa, seguiram-se ataques muito semelhantes a animais na República Dominicana, em Honduras, em El Salvador, na Nicarágua, no Panamá, no México, na Argentina, na Bolívia, no Chile, na Colômbia, no Peru, no Brasil e nos Estados Unidos.

Durante o ano de 1995 e o restante da década os ataques se repetiram nos diferentes países, muitas vezes em dias muito próximos ou iguais. Em raras ocasiões foram registrados em áreas urbanas. Na grande maioria dos casos os ataques ocorreram em áreas rurais vitimando criações de cabras ou de vacas. Os relatos deixaram os investigadores policiais intrigados e sem uma resposta que solucionaria o caso. Mas o modo como as mortes aconteciam e suas localidades chamaram muita atenção dos pesquisadores ufólogos. Para estes, os ataques eram realizados por seres extraterrestres de determinada raça que tinham a intenção de se alimentarem com o sangue dos animais terrestres. De fato, as mortes não tinham relação com nenhuma outra praticada por animais predadores na Terra. Os animais vitimados eram encontrados intactos, só com as marcas dos três furos e completa ausência de sangue.

O Chupa-Cabras ainda é um ser inexplicado. No Brasil, esteve nas manchetes dos principais jornais durante alguns meses, mas desapareceu gradualmente dos noticiários no final da década de 1990. No entanto, os ufólogos de todas as partes ainda se questionam o que é e como é tal animal ou ser que teria causado a morte semelhante de tantos animais em diferentes regiões da América. Alguns acreditam que o coiote tenha dado origem ao mito, por ser semelhante ao que é relatado por algumas pessoas. Porém o modo como as mortes ocorreram ainda é uma incógnita, pois não é característica do animal. Vez ou outra, ainda surgem relatos de seu ataque.

Vi aqui 


terça-feira, 7 de junho de 2016

Notícias Populares, o jornal que marcou época



Os mais jovens não vão lembrar, mas o jornal "Notícias Populares" circulou em São Paulo entre Outubro de 1963 e Janeiro de 2001, quando encerrou suas atividades ao perceber a diminuição do interesse do público. Então o Grupo Folha, no qual era a empresa que publicava o jornal, resolveu concentrar o seu jornalismo no recém lançado Agora São Paulo. 

O NP, como ficou conhecido, entrou para a história, pois era muito famoso pelas suas manchetes sensacionalistas e por relatar casos bizarros e abusar de imagens chocantes, conteúdos violentos e sexuais, sempre deixando seu destaque com letras garrafais e linguagem acessível. 

Devido essas características, o jornal criou muitos "inimigos" que acusavam o veículo de exagerar nos noticiários e até inventar notícias. 

Uma das primeiras polêmicas envolvendo o jornal, ocorreu na década de 60 quando a primeira página informou aos leitores o "desaparecimento do cantor Roberto Carlos", que havia sumido em Nova Iorque. A manchete fez o jornal vender cerca de 20 mil exemplares a mais. No dia seguinte, o NP voltou a aproveitar-se do mesmo tema ao lançar a manchete "Acharam Roberto Carlos".


O jornal era tão inusitado que chegou a estampar na sua capa, casos como "Mulher que dá a luz uma tartaruga", "Pau no cu do Collor" e o famoso caso do "Bebe diabo". 




Por falar no "Bebe Diabo", esta matéria foi uma das mais notáveis controvérsias do jornal. Na ocasião, jornalistas aproveitaram-se da notícia de que um bebê havia nascido com deformações para inventar uma série de reportagens que iam se desenrolando ao decorrer das edições. Para os leitores os fatos inventados pela redação do periódico eram apresentados como se fossem verídicos.

Por abusar de imagens chocantes e conteúdos violentos, em um determinado momento o jornal chegou a ser ameaçado de fechamento. Sob ameaça de censura, o jornal usou o editorial em defesa da liberdade de expressão: "Só lê quem quer". 


Em 20 de Janeiro de 2001, o "Notícias Populares" se despediu dos leitores com um editorial na capa. É bem verdade que o jornal marcou época, porém, após sair de cena ninguém sentiu falta. Hoje em dia, rever as manchetes é algo realmente bem engraçado. 





segunda-feira, 6 de junho de 2016

Porquê Muhammad Ali era muito mais do que um boxeador


Por George Foreman, Janeiro de 2012 

Um grande lutador sendo descrito por outro grande lutador. 

Eu lembro que eu estava pregando na rua uma noite, há muitos anos atrás. Eu tinha ganhado algumas libras, cortado todo o meu cabelo; ninguém me reconheceu, eu era apenas um homem louco na esquina da rua. Então eu comecei a dizer: "Sim, eu sou George Foreman. E fui o campeão mundial dos pesos pesados ​​", mas as pessoas continuavam a andar. Então eu disse: "Eu lutei contra Muhammad Ali", e eles pararam. Certo, então eu percebi que esse cara estava me ajudando a levar a minha mensagem, que ele era uma verdadeira bênção - não porque ele me bateu, mas porque ele foi tudo na minha vida.

Ali e eu passamos muitos anos em campos opostos, então, de repente, há 32 anos, nós percebemos que havia sempre apenas um campo. Garoto, nós perdemos um monte de anos preciosos, mas por 32 anos agora nós estamos mais perto do que o branco sobre o arroz.


Ele não mudou. Eu estava falando com ele recentemente por meio de mensagens de texto. Mandei uma mensagem com uma fotografia da minha nova neta e ele mandou uma mensagem de volta dizendo: "Ela se parece com você!" E no dia seguinte eu tinha duas fotografias de seus netos. Enviei-lhe uma fotografia e ele teve que sair: Isso é Muhammad Ali.

Se você colocar Ali no boxe, você não vai conseguir saber o que ele realmente era. A vida que ele viveu fora do ringue, o que ele tinha a dizer, a coragem que tinha, fez dele o que ele era: um profeta, um herói, um revolucionário - muito mais do que um boxeador. É realmente rebaixá-lo apenas classificá-lo como um boxeador. Ele só usou o boxe para passar a sua mensagem. Seja qual for a mensagem que ele estava destinado a passar, ele usou o boxe para fazê-lo. Quer dizer, ele poderia fazer o shuffle e, ocasionalmente, dar um bom jab, mesmo para obter alguns nocautes, mas não coloque ele apenas no boxe. Esqueça o boxe, ele foi um presente para o mundo. 

Quando eu era jovem, Ali foi o primeiro atleta que as pessoas ligavam a televisão para ver. Ele chamava bastante atenção - e ele era um rapaz bonito - e ele podia fazer truques com os pés. Ele contava piadas, faziam as pessoas rirem; você não podia perdê-lo. Se você não o amava, você devia ter tido ciúmes dele, que é a mesma coisa que amá-lo. Eu me lembro bem. 

Eu estava excessivamente confiante quando lutei contra ele. Eu tinha ido atrás de lutadores que já tinham batido nele, como Joe Frazier e Kenny Norton. Tudo o que eu pensava era: "Devo ser misericordioso ou não?" Eu pensei que ele seria apenas mais uma vitima do meu nocaute, no sétimo round, eu acertei um forte no queixo dele e ele me segurou e sussurrou no meu ouvido: "Isso é tudo o que você tem, George?" Eu percebi que aquilo não era o que eu pensava que seria.

Eu nunca havia perdido antes. Eu era tão orgulhoso que por anos eu não aceitei; eles me traíram, eu fui enganado, algo estava errado. Então, em 1981, um repórter veio a minha fazenda e me perguntou: "O que aconteceu na África, George" Eu tive que olhá-lo nos olhos e dizer: "Eu perdi. Ele me bateu." Até então eu não tinha nada, mas a vingança e ódio estavam em minha mente, mas a partir de então, ficou claro. Eu nunca seria capaz de vencer essa luta, então eu tive que deixar pra lá. 

O que eu realmente lamento é que, quando ele se levantou contra as cordas, eu continuei a bater nele, em seu pescoço. Eu bati com força. Eu às vezes acordo e desejo que eu nunca tivesse feito isso. Não quer dizer que eu causei a sua doença, mas eu colaborei um pouco. Se eu pudesse escolher, eu não faria tudo de novo, eu nunca teria lutado contra ele. 

Eu não acho sua doença triste, porém o cara é um herói. Ele ainda está bem para mim. Você pode conversar com veteranos de guerra e não saber que ele têm uma perna de madeira. O que eles fizeram faz de sua doença algo imperceptível. Um herói é um cara que você pode derrotar várias vezes e ao invés de ele ficar para baixo, ele diz para si mesmo:  "Se eu desanimar, todas as pessoas que creem em mim vão desanimar comigo. Devo manter-me de pé. "Ele ficou de pé. Eu não sinto pena dele; Sinto-me orgulhoso por alguém que eu sequer conheço.

O que torna Muhammad Ali especial é que ele ama a vida. Não é um amor de jovens apaixonados é um amor verdadeiro. Ele se apaixonou realmente  pela vida. Agora, ele provavelmente está pensando de como ele vai se reerguer.  Ele ainda está vivo. Ele não esconde.

Lembra-se dele acendendo a tocha nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996? Ele estava dizendo: "Eu adorei fazer isso, obrigado."  Esse cara ama a vida.

Eu acredito que ele é o maior, mas não no boxe - esqueça isso, dê esse prêmio a Joe Louis, ou a qualquer outro - Eu acredito que ele é um dos maiores homens que já conheci.


Feliz aniversário, Muhammad Ali. Eu te amo.

Este artigo foi escrito em 2012 para comemorar o 70º aniversário de Ali, pelo próprio George Foreman. Meu inglês não é tão bom, então por vezes a tradução possa parecer meio confusa. Espero que vocês consigam compreender.